Covid-19: Mundo ultrapassa a marca de 1 milhão de mortos, diz universidade

O mundo superou nesta segunda-feira, 28, a marca de um milhão de mortes provocadas pela Covid-19, de acordo com dados divulgados pela Universidade Johns Hopkins.

Segundo a plataforma criada pela instituição, que é utilizada como referência de pesquisa sobre a pandemia, já são 1.000.555 mortes em decorrência do coronavírus.

Os Estados Unidos lideram no número de óbitos, com 205.031. O Brasil é o segundo país na estatística, com 142.058 mortes. Índia, México e Reino Unido aparecem na sequência.

A velocidade da pandemia também chama atenção: as primeiras 500 mil mortes ocorreram no intervalo de seis meses, mas as outras 500 mil foram registradas em apenas três meses. Nos últimos 12 dias, foram 100 mil óbitos.

Ainda segundo a plataforma da universidade Johns Hopkins, já foram diagnosticados 33.273.720 casos de Covid-19 em todo o mundo. Os Estados Unidos também estão em primeiro nesta estatística, com 7.147.241 registros. Mas o segundo lugar é da Índia, com 6.074.702 casos. O Brasil é o terceiro, com 4.745.464 no total.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Senador Romário é submetido a cirurgia em hospital do Rio

O ex-jogador de futebol senador Romário (PL-RJ) foi submetido, nesta quinta-feira, 9, a uma cirurgia, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada em...

STF suspende novamente julgamento sobre terras indígenas

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu novamente o julgamento que analisa a validade da tese sobre o marco temporal para demarcações de terras indígenas....

Câmara aprova novo Código Eleitoral, mas exclui quarentena a juízes

O texto-base do novo código eleitoral em tramitação na Câmara dos Deputados foi aprovado nesta quinta-feira, 9, pelo plenário da Casa por ampla maioria,...

Restos mortais de vítimas do 11 de setembro são identificados após 20 anos

Por 20 anos, o consultório médico legista da cidade de Nova York conduziu discretamente a maior investigação de pessoas desaparecidas já realizada no país —...

Ter mais tempo livre não aumenta necessariamente o bem-estar

Ter muito tempo livre não é sinônimo de bem-estar. É o que dizem pesquisadores da Universidade da Pensilvânia em estudo publicado no Journal of...