AGU contrata escritório na Suíça sem licitação por R$ 68,7 milhões

A Advocacia-Geral da União (AGU) contratou sem licitação um escritório de advocacia na Suíça por 68,7 milhões de reais. Trata-se do Lalive S.A., especializado em recuperação de ativos financeiros, que tem representações em Genebra e Zurique, na Suíça, e em Londres, na Inglaterra. Segundo a AGU, o escritório ficará encarregado de representar o Brasil na Justiça da Suíça a fim de atuar em procedimentos criminais destinados à recuperação de ativos de origem ilícita e à compensação aos danos causados a diversos órgãos públicos no Brasil.

A AGU estima que há pelo menos 1 bilhão de reais “congelados” em contas na Suíça, mas não se sabe ao certo o número de pessoas físicas e empresas brasileiras que estão com ativos ilícitos no país europeu. “Não é possível determinar quantas empresas e pessoas físicas detêm recursos ilícitos, porém o trabalho será iniciado com base nas informações já conhecidas, decorrentes de investigações policiais e processos judiciais no Brasil, ou obtidas por intermédio de cooperação jurídica internacional, via Ministério da Justiça. Pelas mesmas razões, não é possível aferir o valor global de recursos. No entanto, todo valor ilícito que for localizado poderá ser repatriado, com base no contrato firmado”, declarou a AGU.

O contrato com o escritório Lalive S.A. vale por 48 meses e se estenderá até 29 de dezembro de 2024. “O processo de contratação de escritório se deu por dispensa de licitação visto que necessitávamos de escritórios especializados em recuperação de ativos”, disse a AGU. “Sem embargo, a comissão de contratação convidou 5 escritórios na Europa, sendo que 2 foram desclassificados por conflito de interesse. O escritório Lalive venceu por ter apresentado o melhor custo-benefício. Importante ressaltar que a seleção foi realizada entre os anos de 2017 e 2018 e sempre houve muita dificuldade de obtenção de orçamento para fazer frente à contratação.”

Segundo a AGU, o valor de 68,7 milhões é o teto do contrato e compreende os honorários por hora de trabalho dos advogados, mais honorários por êxito, conforme recursos sejam repatriados ao Brasil. “Pode ser que não seja utilizada a totalidade deste valor”, informou o órgão. O edital de contratação do Lalive foi publicado pela AGU duas vezes, na semana passada e hoje.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

O Brasil dança à beira do precipício

Felizmente, não deu certo. Mas Arthur Lira tentou aprovar, de roldão, a PEC da Impunidade — e chegou perto de conseguir. Mas o assunto não está...

ONU vê envolvimento de Putin em envenenamento de opositor

A Organização das Nações Unidas indicou que as provas encontradas no envenenamento do líder da oposição russa, Alexei Navalny, apontam para um provável envolvimento...

“A democracia brasileira está sob ataque”, diz Fachin na OAB

O ministro Luís Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira, 1º, que “a democracia brasileira está sob ataque”. “Se vamos tratar...

Guedes e os idos de março

Na tragédia Julio Cesar, William Shakespeare descreve as intrigas, ambições e disputas de poder que cercam o general romano e o Senado em 44...

O que Bolsonaro quer

O Brasil se tornou um dos piores países do mundo para se estar durante a pandemia do coronavírus. Não apenas a mortalidade per capita...