Nova Zelândia afirma que venceu novamente o coronavírus

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou nesta segunda-feira, 5, o fim das restrições ordenadas em Auckland para frear a segunda onda da epidemia de Covid-19 e declarou que seu país “venceu novamente o vírus”.

A primeira onda de coronavírus foi contida no fim de maio com um confinamento nacional. E o arquipélago registrou depois 102 dias sem contágios locais. Mas em agosto as autoridades detectaram um novo foco da doença na maior cidade do país, o que levou o governo a ordenar um novo confinamento para 1,5 milhão de habitantes de Auckland, que durou três semanas, até o início de setembro.

Leia nesta edição: os planos do presidente para o Supremo. E mais: as profundas transformações provocadas no cotidiano pela pandemiaVEJA/VEJA

Há 12 dias a cidade da Ilha Norte não registra novos casos de Covid-19. Ardern afirmou que a epidemia está sob controle e elogiou os habitantes que precisaram enfrentar o novo confinamento.

“Os habitantes de Auckland e os neozelandeses se submeteram a um plano que funcionou duas vezes. E venceram o vírus novamente”, declarou a chefe de Governo trabalhista.

Um êxito muito oportuno para Ardern, pois o país organizará eleições legislativas em 17 de outubro. De acordo com as pesquisas, ela é a grande favorita para permanecer à frente do governo.

Continua após a publicidade

Jacinda Ardern anunciou ainda que a partir de quarta-feira à noite Auckland passará ao nivel 1 de alerta sanitário, o mesmo em vigor no restante do país. Isto significa o fim das restrições para reuniões públicas.

Uma das consequências é que a segunda partida de rugby entre Nova Zelândia e Austrália, que conta para a Copa Bledisloe – competição anual entre os All Blacks e os Wallabies – poderá ser disputada em 18 de outubro no Eden Park de Auckland com a presença dos torcedores.

“É uma notícia positiva”, afirmou a Federação de Rúgbi da Nova Zelândia em um comunicado. A primeira partida será disputada em Wellington no domingo.

O arquipélago do Pacífico Sul, que tem 5 milhões de habitantes, registrou apenas 25 mortes por Covid-19 e menos de 1.900 casos desde o início da pandemia. Nesta segunda-feira o país tinha 40 casos ativos de coronavírus.

Mas a primeira-ministra pediu aos neozelandeses que permaneçam alertas e lamentou o uso cada vez menor do aplicativo oficial de rastreamento de Covid-19, assim como a queda no número de testes. “O retorno do vírus não é a única coisa que nos preocupa, também há um retorno da indulgência”, disse.

(Com AFP)

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Compra de mansão por Flávio Bolsonaro vira um negócio tarja preta

Pode ser considerado sério, muito menos transparente, um negócio de R$ 6 milhões registrado em cartório em que 18 trechos estão cobertos com tarjas...

A Bolsonaro falta vontade de combater o vírus

Ao presidente Jair Bolsonaro falta vontade para combater a pandemia da Covid. Para ele, melhor que morram os que tiverem de morrer desde que...

Frase do dia

“A pior coisa é você não ter escolha. Ao não ter, permite o que aconteceu: a eleição do Bolsonaro. Teria sido melhor algum outro?...

Charge do Amarildo

Humor

Polícia trabalha com tese de complô de mandantes na morte de Marielle

A Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro está trabalhando com a tese de um possível complô entre intermediários e mandantes do duplo assassinato...