Rússia revela vídeo de teste com a mais potente bomba nuclear já criada

Rússia liberou na semana passada imagens até então sigilosas do teste feito em 1961 com a Tsar-Bomba, a mais potente bomba termonuclear já criada no mundo. O artefato militar foi lançada na costa da Ilha Severny, perto do Oceano Ártico, e explodiu 4.000 metros acima do solo.

A bomba de hidrogênio RDS 220 foi detonada com energia equivalente a cerca de 57 milhões de toneladas de TNT. Ela foi desenvolvida entre os anos de 1950 e 1960, durante a corrida armamentista entre os Estados Unidos e União Soviética (URSS).

Agora, a Rússia liberou imagens inéditas do teste. A filmagem tem 40 minutos e mostra todo o processo de desenvolvimento da bomba, de sua construção à detonação. Nas imagens é possível ver o clarão provocado pela detonação, além de um cogumelo gigante formado pelo aquecimento do ar em seu entorno.

Devido ao seu potencial de destruição, até hoje o explosivo possui as maiores dimensões já vistas em uma criação do tipo – oito metros de altura, dois metros de largura e 27 toneladas. O transporte do explosivo foi feito por um avião especialmente modificado para acomodar a bomba gigante.

Quando chegou ao local designado, o artefato foi lançado acoplado a um paraquedas, para que não chegasse ao solo antes do previsto. A explosão gerou um raio de destruição de 35 quilômetros.

Diferente de uma bomba atômica convencional, a bomba de hidrogênio tem um processo de detonação desenvolvido para criar uma explosão muito mais forte. Em bombas atômicas, como as que foram detonadas em Nagasaki e Hiroshima em 1945, o poder explosivo resulta da liberação repentina de energia após a separação dos núcleos de um elemento químico pesado, como o plutônio.

O processo de detonação das bombas de hidrogênio ou termonucleares inclui várias etapas. Tudo começa com a detonação de uma bomba atômica, que gera temperaturas de milhões de graus, criando energia suficiente para forçar a aproximação de seus dois núcleos leves, combinando-os num segundo estágio conhecido como fusão nuclear. Dessa forma, a potência destrutiva de uma bomba termonuclear pode ser de centenas a milhares de vezes maior que a de uma bomba atômica.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Rito processual torna improvável que Lula vire ‘ficha suja’ antes de 2022

As ações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que foram enviadas nesta segunda-feira, 8, para a Justiça Federal de Brasília teriam...

‘Vai mexer com todas as peças do tabuleiro’, diz Boulos sobre Lula

Ex-candidato a presidente pelo PSOL, o líder do movimento sem-teto Guilherme Boulos afirmou que a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal...

“Como teve lugar isso que nos aconteceu?”, pergunta Idelber Avelar

Em junho de 2013, multidões irritadas foram às ruas protestar contra um irrisório aumento no preço da passagem dos transportes públicos. Logo ficou claro...

Como ficaria a eleição presidencial com a entrada de Lula na disputa

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria 18% das intenções de votos e perderia apenas para o presidente Jair Bolsonaro, que tem...

Com Covid-19 em alta, nenhum estado consegue a taxa mínima de isolamento

Em meio ao avanço da pandemia da Covid-19 pelo país, todos os estados brasileiros estão longe da taxa mínima de isolamento social de 70%...