Sem aval de Trump, milhões de americanos podem perder auxílio emergencial

Nos últimos dias de seu mandato como presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (Republicanos) ainda não definiu se assinará ou não o pacto de benefícios estimado em 2,3 trilhões de dólares aos desempregados. Ao longo desta semana, Trump se disse insatisfeito com o projeto de lei que funciona como uma espécie de socorro aos cidadãos que perderam seus postos de trabalho em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

O pacote emergencial foi aprovado na última semana após meses de embates entre republicanos e americanos. Trump aceitou os termos do acordo, mas passou a se manifestar de forma contrária nos últimos dias. Segundo o presidente, o pacote concederia muito dinheiro a projetos culturais e ajuda estrangeira enquanto o auxílio de 600 dólares mensais aos americanos seria insuficiente.

“Por que os políticos não querem dar às pessoas 2.000, em vez de apenas 600 dólares?… Deem dinheiro ao nosso povo!”, tuitou o presidente.

O amplo pacote de ajuda econômica que o Congresso aprovou estenderia o benefício até março de 2021.  Ao todo, cerca de 14 milhões de pessoas podem perder o auxílio a partir deste sábado, 26, caso Trump decida por não sancionar o projeto.

Se não houver acordo, uma paralisação parcial do governo está prevista para começar na terça-feira, 29.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Frase do dia

“Qual o interesse dos demagogos? Eles pensam: está todo mundo cansado de ficar em casa, vou dizer que pode sair, que pare com essa...

Charge do Amarildo

Humor

Fachin nega pedido de Edir Macedo para retomar ação contra Haddad

Não prosperou, ao menos por enquanto, a tentativa do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, de retomar um processo...

A imunidade, a impunidade e a bandidagem

Editorial de O Estado de S. Paulo (27/2/2021) Um Estado Democrático de Direito protege necessariamente os membros do Legislativo. Não há Congresso independente se os...

“Gato na Tuba” e Petrobras: CVM investiga (por Vitor Hugo Soares)

Eu me lembro da marchinha “Gato na Tuba” ao ler a notícia de que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu o segundo processo...