AGU e Secretaria de Governo também devem ter trocas no comando

A Advocacia-Geral da União (AGU) e a Secretaria de Governo devem entrar na dança das cadeiras da reforma ministerial que começou nesta segunda-feira, dia 29, por decisão do presidente Jair Bolsonaro.

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos — responsável pela articulação política do governo com o Congresso –, pode assumir a Casa Civil no lugar do general Walter Braga Netto, que é cotado para assumir o Ministério da Defesa, no lugar de Fernando Azevedo e Silva, que deixou o cargo nesta segunda-feira.

O advogado-geral da União, José Levi Mello, também deve ser substituído do posto. Mello não assinou a ação impetrada por Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF) em 19 de março para derrubar o toque de recolher imposto pelos governos estaduais do Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul – o pedido foi rejeitado pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello.

Um dos principais cotados para assumir a secretaria de governo seria o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), que é líder do governo no Congresso.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Irã classifica apagão em usina nuclear de Natanz como “ato terrorista”

A usina atômica de Natanz, no Irã, sofreu um blecaute na manhã deste domingo. As autoridades iranianas classificaram o incidente como um ato de...

Grupos religiosos protestam contra decisão do STF sobre cultos e missas

Grupos religiosos fizeram neste domingo um protesto em frente ao Congresso Nacional contra a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de garantir a...

Igreja Católica da Austrália paga indenização milionária a vítima de abuso

Um homem de 58 anos cuja identidade não foi revelada vai receber uma indenização de 1,5 milhão de dólares australianos (cerca de 6,5 milhões...

O que Bolsonaro é, segundo Marta Suplicy

O que disse Marta Suplicy, ex-prefeita de São Paulo, sobre o presidente Jair Bolsonaro em entrevista ao programa  Manhattan Connection, na TV Cultura. https://youtube.com/watch?v=iq_HayFJl30&feature=oembed Mais lidasBrasilBrasilA...

Pandemia não anula a Constituição

Editorial de O Estado de S. Paulo (11/4/2021) Nenhuma circunstância excepcional, nem mesmo a maior crise de saúde em um século, justifica que se ignore...