Após decisão do STF, governador do Amazonas não comparece à CPI

Amparado por decisão da ministra Rosa Weber, do STF, tomada na noite desta quarta-feira, o governador do Amazonas, Wilson Lima, não comparecerá ao Senado para prestar depoimento na manhã desta quinta na CPI da Pandemia. A oitiva estava prevista para ocorrer na reunião marcada para as 9h30.

Rosa concedeu um habeas corpus a Lima por entender que, como o governador é investigado e foi denunciado, não é obrigado a se incriminar na CPI. Ele ainda tinha a opção de ficar em silêncio durante o interrogatório caso fosse à comissão.

O depoimento dele foi antecipado para esta quinta-feira após a Operação Sangria, da Polícia Federal, atingir toda a cúpula do governo amazonense na semana passada. Ele seria o primeiro dos nove chefes estaduais a serem ouvidos pela CPI, que também investiga possíveis desvios de recursos repassados pela União para o enfrentamento da pandemia nos estados.

Com a ausência do chefe do Executivo amazonense, os senadores deverão votar apenas requerimentos de quebras de sigilo de alvos das investigações.

Ultimas notícias

Osmar Terra deve prestar depoimento na CPI da Covid nesta terça-feira

O ex-ministro da Cidadania e deputado Osmar Terra (MDB-RS) presta depoimento nesta terça-feira, 22, na CPI da Covid-19. Ele é apontado como um dos...

Barroso mostra auditoria de urnas a deputados da comissão do voto impresso

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, se reuniu nesta segunda-feira, 21, com deputados federais para apresentar o funcionamento do...

Mais candidato do que nunca, Lula avisa que rodará o país

Em live em comemoração aos 80 anos do vereador de São Paulo Eduardo Suplicy (PT), Lula mostrou que é mais candidato do que nunca...

Após novo ataque de Bolsonaro, Pacheco sai em defesa da imprensa

Depois de mais um rompante autoritário de Bolsonaro contra a imprensa, o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM-RO), veio à público apresentar um contraponto...

Bolsonaro terá que explicar declarações sobre fraudes a urnas ao TSE

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Felipe Salomão, determinou nesta segunda prazo de 15 dias para que Bolsonaro e outras autoridades que...