Bolsonaro e aliados alavancam difusão do ‘tratamento precoce’ no Twitter   

O presidente Jair Bolsonaro e seus aliados são os principais responsáveis pela difusão de conteúdos favoráveis ao chamado “tratamento precoce”, a polêmica terapia que consiste no uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19, como hidroxicloroquina, ivermectina e nitazoxanida, segundo levantamento feito pela consultoria Qaest a pedido de VEJA. 

 O número de publicações com esse tipo de conteúdo vem crescendo no mês de março (veja quadro abaixo), em um dos momentos mais agudos da pandemia do novo coronavírus, quando o número de mortes rompeu em duas semanas a marca das 3.000 vítimas diárias e depois das 4.000 — até sexta-feira, o Brasil tinha contabilizado 348.718 mortes. 

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

Entre os maiores influenciadores na divulgação do “tratamento precoce”, o presidente Jair Bolsonaro lidera a lista: seus posts atingiram 4,98 milhões de pessoas do início do ano até o dia 26 de março. Na sequência, aparecem o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), um conselheiro influente de Bolsonaro nesse assunto, e o filho Zero Três do presidente, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) — veja quadro abaixo. 

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

Segundo o levantamento, 28,9% dos posts do presidente Jair Bolsonaro tratam desse tema, mas ele não é o líder nesse quesito: quem aparece em primeiro é outra bolsonarista influente nas redes sociais, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), que dedica 43,3% de suas publicações para falar da controversa terapia (veja quadro abaixo). 

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

O tema é considerado tão prioritário para Bolsonaro que nesta semana ele fez questão de viajar até a cidade de Chapecó, no oeste de Santa Catarina, onde o “tratamento precoce” é adotado em larga escala pelo prefeito João Rodrigues (PSD), que vende a sua política contra a Covid-19 como uma experiência de sucesso, discurso que é replicado pelos bolsonaristas nas redes sociais. 

No entanto, não é assim. A cidade está com 100% de seus leitos de UTI ocupados (129 vagas) e registrou mais mortes desde janeiro, quando Rodrigues assumiu (414), do que em todo o ano passado (125). Para conter a pandemia, o prefeito precisou recorrer à adoção do lockdown, medida que é diariamente combatida por Bolsonaro. 

 

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Presidente da Anvisa depõe na CPI da Pandemia nesta terça-feira

A CPI da Pandemia retoma o trabalho nesta terça-feira, 11, com o depoimento do presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra...

Sobre o “tratoraço” regimental

A reforma do regimento interno da Câmara dos Deputados, que pode ser votada esta semana, vem sendo chamada por seus críticos de “tratoraço”, em...

Queiroz mostra, mais uma vez, fidelidade ao presidente Bolsonaro

Denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como operador do esquema da rachadinha no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) enquanto o filho...

“Acabou a mamata!”, proclamou Jair Bolsonaro

Resistente a compartilhar o poder, Lula aceitou um esquema em que empresas estatais, como a Petrobras, faziam compras desnecessárias e/ou superfaturadas e desviavam dinheiro...

Facebook envia à CPI vídeo apagado de reunião com gafes de Guedes e Ramos

O Facebook atendeu nesta segunda-feira a um requerimento do senador Randolfe Rodrigues e enviou à CPI da Pandemia no Senado um vídeo da reunião...