Bolsonaro já quis incluir passagem bíblica em texto sobre o golpe militar

A reunião que acabou se transformando na demissão do general Fernando Azevedo do Ministério da Defesa, na última segunda-feira, 29, previa a apresentação da Ordem do Dia, mensagem alusiva ao 31 de março de 1964, dia do golpe militar. Jair Bolsonaro, sabe-se, sempre dedicou atenção especial à data que é emblemática para o Exército e costumava ler com atenção o texto antes de sua divulgação.

Fernando, porém, acabou demitido logo ao entrar no gabinete presidencial e sequer apresentou a mensagem ao presidente. Não houve espaço nem para as aventuras literárias de Bolsonaro, que, no seu primeiro ano de mandato, tentou incluir na Ordem do Dia o que virou um de seus principais bordões.

Em 2019, o presidente apresentou uma série de sugestões ao texto, quis embutir na mensagem de sua campanha e até uma passagem bíblica que incorporou ao seu linguajar: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará“, do versículo João 8:32 da Bíblia. Recebida como completamente despropositada, a sugestão foi descartada do texto, cuja versão final não teve nenhuma menção religiosa

Como o novo ministro da Defesa, Braga Netto divulgou na última terça-feira a Ordem do Dia sobre os 57 anos do golpe militar. O texto divulgado foi aquele que Fernando apresentaria ao presidente antes de ser demitido. Mas houve alterações.

A mensagem inicialmente ressaltava que as Forças Armadas cumprem função de instituição de Estado, conforme o ministro fez questão de destacar em sua carta de demissão. Esse trecho, porém, acabou retirado.

Outra mudança diz que os acontecimentos de 31 de março devem ser “celebrados“, enquanto a versão inicial constava apenas que os acontecimentos deveriam ser “compreendidos“. “O movimento de 1964 é parte da trajetória histórica do Brasil. Assim devem ser compreendidos e celebrados os acontecimentos daquele 31 de março”, assinou Braga Netto.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

TCU pede que Lewandowski reveja decisão que beneficiou Joesley e JBS

O Tribunal de Contas da União (TCU) pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski que reconsidere duas decisões tomadas por ele...

Centrão ou Guedes: meta de Bolsonaro é não escolher entre um dos lados

Acossado pela pandemia de Covid-19, a crise econômica e a queda de popularidade, o presidente Jair Bolsonaro terá de arbitrar uma disputa entre dois...

A recidiva

Editorial de O Estado de S. Paulo (17/4/2021) O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 8 votos a 3, anular as condenações impostas ao ex-presidente...

Secretaria de Saúde de São Paulo acusa parlamentares de invadirem hospital

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo afirmou, em publicação nas redes sociais, que o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) e os deputados...

Não basta a China (por Cristovam Buarque)

No excelente livro “Brasil, construtor de ruínas: Um olhar sobre o país, de Lula a Bolsonaro” a jornalista escritora Eliane Blum escreveu que: “Como...