Bolsonaro na TV: ‘Neste ano, todos os brasileiros serão vacinados’

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quarta-feira, 2, em pronunciamento oficial de rádio e TV de pouco mais de sete minutos a sua atuação no combate à pandemia, voltou a fazer críticas às políticas de distanciamento social e defendeu iniciativas de seu governo.

“Sinto muito por cada vida perdida neste país”, disse sobre as mais de 465 mil mortes pela Covid-19 registradas no país. Ele anunciou que o país chegou a 100 milhões de doses aplicadas e afirmou que o país faz parte “da elite de cinco países do mundo que produzem vacinas”. E “Neste ano, todos os brasileiros que assim desejarem serão vacinados”, disse.

Em um discurso que repete quase diariamente voltou a criticar os prefeitos e governadores, sem citá-los, que adotam políticas de restrições de circulação e de funcionamento de atividades. “Nosso governo não obrigou ninguém a ficar em casa. Não fechou o comércio, não fechou igrejas e escolas e não tirou o sustento de milhões de brasileiros informais”, afirmou.

O presidente também lembrou que destinou 320 bilhões de reais ao pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia (“Mais de dez anos de Bolsa Família”, disse) e outros 190 bilhões de reais aos estados e municípios.

Também citou o que considera perspectiva positiva do PIB, cujo crescimento pode superar 4% no ano, e listou as medidas que tomou para incentivar a economia, como a nova Lei do Gás, o Marco Legal do Saneamento e o Banco Central independente.

Como ocorre tradicionalmente, o protesto foi acompanhado por panelaços pelo país.

 

Ultimas notícias

Voto impresso é “jaguatirica com cobra d’água”

“A mistura, a compatibilização do sistema de urna eletrônica que temos com o sistema de impressão de voto, poderia ser uma cruza de jaguatirica...

Grupo de senadores planeja esvaziar depoimentos de médicos pró-cloroquina

Os senadores da CPI da Pandemia que se posicionam contra o presidente Jair Bolsonaro, integrantes do grupo conhecido como G7, se articulam há alguns...

O conselheiro: por que Bolsonaro dá trânsito livre a Malafaia no Planalto

Em meio a uma rodada de insultos durante a CPI da Covid-19 no Senado, veio à baila o nome do pastor carioca Silas Malafaia,...

Datas: Carlos Langoni, Raul de Souza e Marco Maciel

A modernização do Banco Central brasileiro deve muito ao economista Carlos Langoni. Em 1979, então diretor da instituição, ele ajudou a elaborar a Selic,...

Uma ponta não fecha

Quem se debruça agora sobre a condução que Jair Bolsonaro vem dando aos desafios da pandemia conclui que o próprio presidente melhorou as condições...