Bolsonaro não se vacina, visita projeto social e critica o ‘fecha tudo’

No dia em que poderia ter tomado a vacina contra a Covid-19, Jair Bolsonaro saiu para dar uma passeio e voltou a criticar o ‘lockdown’. Ao lado do novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, ele visitou um projeto social que distribui pratos de sopa à população desassistida na localidade de Itapõa, em Brasília.

A dupla se alimentou no local, e Bolsonaro gravou um vídeo. Nele, reafirmou sua contrariedade com o que classificou como “política radical do feche tudo” e lembrou que o número de brasileiros sem renda aumentou durante a pandemia. “É o que sempre disse lá atrás: o desemprego e o vírus, dois problemas. Nos preocupamos com os dois. Lamentamos as mortes […]. Cada vez mais, com mais desemprego na política de fecha tudo e fica em casa, mais gente está comendo menos”, criticou.

O presidente disse que defende medidas protetivas, mas, segundo ele, com limites: “A guerra, da minha parte, não é política. É uma guerra que, realmente, tem a ver com o futuro de uma nação. Não podemos esquecer a questão do emprego. O vírus estamos combatendo com vacinações e apoiamos medidas protetivas, agora, tudo tem um limite”, concluiu.

Bolsonaro já poderia ter se vacinado em Brasília. A partir deste sábado, 3, o imunizante começou a ser aplicado aos moradores da capital com 66 anos, a idade do presidente. Por ora, entretanto, porém, não há previsão de que ele vá se vacinar. Bolsonaro costuma emitir sinais difusos sobre o que pensa a respeito do assunto. Na maior parte do tempo, rechaça a pretensão de se imunizar. Em algumas ocasiões, no entanto, indica que pode ceder à ciência, como ocorreu hoje, mais cedo.

Ao chegar de visita a Itapõa, Bolsonaro disse em frente ao Palácio da Alvorada que não descarta ir receber a sua dose. “Acho que essa vacina minha tem que ser dada para alguém que não contraiu o vírus e tem risco muito, mas muito maior do que o meu. Da minha parte não tenho problema nenhum em buscar um posto de saúde, já que entrou a minha faixa etária, e me vacinar”, afirmou o presidente, que já contraiu a Covid-19.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Chefe da Secom, Flávio Rocha comunica a ministros que deixará o cargo

Responsável pela Secom, o almirante Flávio Rocha, depois de seguidos problemas na Presidência, bateu o martelo. Vai deixar o órgão que herdou de Fabio...

Ameaçar é crime

Editorial de O Estado de S. Paulo (14/4/2021) O presidente Jair Bolsonaro gosta de falar de liberdade. Em seus discursos, coloca-se como uma espécie de...

Randolfe Rodrigues: ‘A CPI não vai investigar pessoas, mas os fatos’

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi o requerente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19, que irá investigar o combate à pandemia do...

PF produziu perícia para ajudar Moro e procuradores (por Márcio Chaer)

Um sargento morreu por causa da explosão de uma bomba dentro do automóvel em que estava e que arrebentou também grande parte da barriga...

Livro não é luxo

Por Vitor Tavares, Diego Drumond, Hubert Alquéres e Luciano Monteiro: Jorge Amado, um dos maiores escritores da literatura brasileira, estaria atônito com a intenção do...