Bolsonaro precisa de um ministro respeitável

Jair Bolsonaro é o pior presidente da história e sua administração está provocando o maior retrocesso em décadas. Sua gestão na Saúde está levando milhares de brasileiros a uma morte perfeitamente eveitável. O presidente tornou-se radiativo: participar de seu governo significa, necessariamente, destruir a própria reputação.

Bolsonaro precisa de alguém decente e respeitável no cargo, mas o que levaria alguém decente e respeitável a aceitar ser ministro a esta altura do campeonato?

A resposta óbvia é: nada no mundo.

Mas a verdade é que existe um (único) motivo: um esforço de salvação nacional.

Em 1991, Marcílio Marques Moreira, um dos brasileiros mais decentes e respeitáveis de que se tem notícia, aceitou ser ministro da Fazenda do governo nada decente ou respeitável de Fernando Collor. Era um cargo que, em condições normais, Marcílio recusaria, mas o Brasil naufragava no caos, e era imperioso que assumisse o leme alguém em quem a sociedade e os credores pudessem confiar. Marcílio assumiu, pôs a bola no chão, e, um ano e meio depois, saiu.

O esforço de salvação nacional capaz de justificar que alguém decente e respeitável decida ser ministro de Bolsonaro a esta altura é, claro, controlar a pandemia. Para que um tal alguém aceite a tarefa, entretanto, Bolsonaro precisaria lhe dar carta branca absoluta. Como Collor fez com Marcílio.

Collor não deu carta branca a Marcílio porque quisesse, mas porque sabia que era sua única chance. Bolsonaro, em vez de dar carta branca a Ludhmilla Hajjar, permitiu que suas redes a massacrassem. Antes mesmo de o convite ser aceito.

A diferença entre Collor e Bolsonaro é que o ex-presidente era um homem inteligente e não era suicida, enquanto que o atual presidente é o capitão do Exército que mostrou a uma jornalista seu plano para explodir bombas em quartéis.

No que depender de Bolsonaro, ninguém respeitável aceitará o cargo e milhares de brasileiros continuarão morrendo. Junto com eles, morrerá o futuro político de Jair Bolsonaro.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Ameaçado por Bolsonaro, Randolfe é indicado para integrar CPI da Covid-19

Alvo do presidente Jair Bolsonaro, que falou em “ter que sair na porrada” com ele, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) será indicado por seu...

CPI-zinha cara

Não é atribuição do Congresso fiscalizar governadores e prefeitos, não é possível tratar 27 governadores e 5.570 prefeitos como se fossem uma coisa só,...

Em meio a tensões envolvendo Ucrânia, Biden propõe cúpula a Putin

Em telefonema nesta terça-feira, 13, o presidente americano, Joe Biden, propôs ao presidente russo, Vladimir Putin, a realização de uma cúpula bilateral nos próximos...

Pentágono confirma veracidade de vídeos sobre OVNI na costa da Califórnia

O Pentágono confirmou nesta terça-feira, 13, a veracidade de vídeos que mostram objetos voadores não identificados zumbindo sobre navios de guerra da marinha americana...

Senador pede explicações sobre campanhas publicitárias contra Covid-19

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) protocolou um pedido de informações dirigido ao ministro das Comunicações, Fábio Faria, sobre as campanhas publicitárias desenvolvidas pela pasta...