Bolsonaro quebrou todas as regras na troca dos comandos militares

Ficaram sentimentos contrariados entre os militares mesmo após o anúncio dos três novos comandantes. O presidente Bolsonaro não apenas demitiu os três oficiais que comandavam as Forças Armadas, mas o fez da pior forma, regada a descaso.

Nem mesmo se encontrou com eles. O anúncio de que os então comandantes estavam sendo substituídos foi realizado de forma árida pelo ministro Braga Netto, antes que os ocupantes dos comandos pudessem colocar os cargos à disposição. Todos sabem que quem tem a prerrogativa de exonerar ou nomear é o presidente da República, e não o ministro da Defesa. Por isso, Braga Netto foi simplesmente um entregador de recados, o que pegou mal numa instituição tão hierarquizada.

Mas o que mais pesou foi o fato de Bolsonaro não ter feito sequer os elogios de praxe. Os três oficiais foram despachados com desprezo e isso gerou insatisfação principalmente no Exército. Afinal, o general Edson Pujol sempre foi uma liderança forte. O elogio e o agradecimento aos quatro foi feito pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

“Meus respeitos e admiração ao General Fernando, Almirante Ilques, General Leal Pujol e Brigadeiro Bermudez. A condução dos assuntos da defesa e das FA foi exemplar, aliando lealdade ao Brasil e rapidez nos chamados da população. Desejo sucesso ao novo ministro e aos novos comandantes”, escreveu Mourão nas redes sociais.

De Bolsonaro, tão ativo no meio digital, não se viu, ouviu ou se leu nenhuma palavra. Dentro de instituições tão marcadas pelos protocolos, essa postura foi extremamente criticada. Agora, se tentar consertar algo, já vai ser tarde.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Chefe da Secom, Flávio Rocha comunica a ministros que deixará o cargo

Responsável pela Secom, o almirante Flávio Rocha, depois de seguidos problemas na Presidência, bateu o martelo. Vai deixar o órgão que herdou de Fabio...

Ameaçar é crime

Editorial de O Estado de S. Paulo (14/4/2021) O presidente Jair Bolsonaro gosta de falar de liberdade. Em seus discursos, coloca-se como uma espécie de...

Randolfe Rodrigues: ‘A CPI não vai investigar pessoas, mas os fatos’

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi o requerente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19, que irá investigar o combate à pandemia do...

PF produziu perícia para ajudar Moro e procuradores (por Márcio Chaer)

Um sargento morreu por causa da explosão de uma bomba dentro do automóvel em que estava e que arrebentou também grande parte da barriga...

Livro não é luxo

Por Vitor Tavares, Diego Drumond, Hubert Alquéres e Luciano Monteiro: Jorge Amado, um dos maiores escritores da literatura brasileira, estaria atônito com a intenção do...