Brasileiro que foi assistir ao BBB para relaxar dobrou sessões de terapia

Pandemia, desgoverno, crise. O brasileiro precisa espairecer para conservar a saúde mental. Para isso, nada melhor do que um bom entretenimento na TV. Ou não. De acordo com estudo feito na última semana, 83% dos telespectadores da 21ª versão do Big Brother Brasil dobraram seus dias na terapia. E 95% intensificaram seus calmantes ou remédios para dormir.

Psicólogos acreditam que as brigas, humilhações e problematizações sociais que ocorrem na casa já estressam, emocionam e causam raiva ao brasileiro mais do que a eleição no Congresso e até do que o baile sem máscaras de Arthur Lira. “Eu só queria ver pessoas saindo na porrada por causa de comida, e agora tive de ler dois livros sobre feminismo e três sobre racismo para poder conversar sobre o que vi num reality show”, disse um espectador enquanto chorava.

Publicado em VEJA de 10 de fevereiro de 2021, edição nº 2724

Ultimas notícias

Fachin nega pedido de Edir Macedo para retomar ação contra Haddad

Não prosperou, ao menos por enquanto, a tentativa do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, de retomar um processo...

A imunidade, a impunidade e a bandidagem

Editorial de O Estado de S. Paulo (27/2/2021) Um Estado Democrático de Direito protege necessariamente os membros do Legislativo. Não há Congresso independente se os...

“Gato na Tuba” e Petrobras: CVM investiga (por Vitor Hugo Soares)

Eu me lembro da marchinha “Gato na Tuba” ao ler a notícia de que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu o segundo processo...

TCU faz ofensiva contra gastos de 32 procuradores na Lava-Jato

O Tribunal de Contas da União (TCU) prepara uma ofensiva contra 32 procuradores que atuaram nas investigações da Lava-Jato e planeja investigar os gastos...

Em casa ou na escola? (por José Sarney)

Ninguém sabe o mundo que nos espera depois desta pandemia. Teremos que nos adaptar à convivência com um vírus que fará parte das campanhas...