Câmara aprova Orçamento da União de 2021

Em sessão do Congresso Nacional, a Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira, 25, por 346 favoráveis, 110 contra e uma abstenção, o projeto de lei do Orçamento da União para 2021. A matéria estabelece as receitas e despesas federais previstas para este ano. Após a aprovação do texto base, o deputados rejeitaram dois destaques, um deles apresentado pelo PSOL e outro pelo NOVO.

Após a conclusão da votação do Orçamento da União para 2021 pela Câmara, os senadores iniciaram a análise e a votação do projeto na sessão do Congresso para votar o projeto.

Com três meses de atraso, a Comissão Mista de Orçamento (CMO), formada por deputados e senadores, aprovou o Orçamento 2021 na tarde desta quinta. Tradicionalmente, o orçamento é aprovado no ano anterior, antes do recesso legislativo.

O parecer final do relator-geral, senador Marcio Bittar (MDB-AC), foi aprovado com a complementação de voto para remanejar R$ 26,5 bilhões e, assim, favorecer emendas parlamentares. Segundo o substitutivo, as receitas foram estimadas em R$ 4,324 trilhões, das quais cerca de R$ 2,576 trilhões são para o refinanciamento da dívida e para as empresas estatais. O teto dos gastos é de R$ 1,48 trilhão.

“Aumentamos o dinheiro para saúde e educação, garantimos os recursos para pesquisa da vacina brasileira, que vai acontecer ainda neste ano, e mais de R$ 20 bilhões para o governo federal continuar comprando vacinas”, explicou o senador.

A meta de déficit primário do governo é de R$ 247,1 bilhões em 2021. O déficit primário corresponde ao resultado negativo das contas do governo desconsiderando o pagamento dos juros da dívida pública.

Com Agência Brasil

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Guedes entra no vale-tudo para ficar

O rascunho da Proposta de Emenda à Constituição produzida pelo Ministério da Economia para resolver o impasse sobre a sanção do Orçamento tem o...

Sob pressão internacional, Bolsonaro vai a almoço com diplomata europeu

Pressionado pela comunidade internacional por conta da questão ambiental e do agravamento da crise da pandemia da Covid-19 no país, o presidente Jair Bolsonaro...

Chefe da Secom, Flávio Rocha comunica a ministros que deixará o cargo

Responsável pela Secom, o almirante Flávio Rocha, depois de seguidos problemas na Presidência, bateu o martelo. Vai deixar o órgão que herdou de Fabio...

Ameaçar é crime

Editorial de O Estado de S. Paulo (14/4/2021) O presidente Jair Bolsonaro gosta de falar de liberdade. Em seus discursos, coloca-se como uma espécie de...

Randolfe Rodrigues: ‘A CPI não vai investigar pessoas, mas os fatos’

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi o requerente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19, que irá investigar o combate à pandemia do...