Câmara inova e mantém palavrões de Silveira nas suas notas oficiais

Os pesados ataques e xingamentos de Daniel Silveira (PSL-RJ) a ministros do STF foram repetidos pela relatora Magda Mofatto (PL-GO) no relatório no qual manteve a prisão do deputado bolsonarista.

Ela citou trechos integrais de algumas falas do colega, em especial os mais duros e que continham palavrões. E, para surpresa, esses adjetivos mais grosseiros e de baixo escalão foram mantidos nas notas taquigráficas da Câmara, que reproduziu a integralidade do relatório de Mofatto.

O que não é comum. Palavrões são sempre retirados dos anais da Casa.  Essas frases integrais ditas por Silveira e reproduzidas pela relatora foram as seguintes:

“Não é nenhum tipo de pressão sobre o Judiciário, não, porque o Judiciário tem feito uma sucessão de merda no Brasil. Uma sucessão de merda, e quando chega em cima, na Suprema Corte, vocês terminam de cagar a porra toda. É isso que vocês fazem. Vocês endossam a merda. Então, como já dizia lá Rui Barbosa a pior ditadura é a do Judiciário, pois contra ela não há a quem recorrer. E, infelizmente é verdade. O Judiciário tem feito uma sucessão de merdas. Um bando de militantes totalmente lobotomizados fazendo um monte de merda”

Outro ataque do deputado, durissimo feito contra o ministro Edson Fachin, foi lembrado pela relatora.

“O que acontece, Fachin, é que todo mundo está cansado dessa sua cara de filha da puta que tu tem, essa cara de vagabundo…várias e várias vezes já te imaginei levando uma surra, quantas vezes eu imaginei você e todos os integrantes dessa Corte…quantas vezes eu imaginei você na rua levando uma surra”.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Doria sofre protesto contra fase vermelha e diz ter sido ameaçado de morte

O domingo do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não foi nada tranquilo. O tucano soltou logo pela manhã uma nota oficial afirmando...

Orçamento gambiarra (por Gustavo Krause)

Refiro-me ao Orçamento respeitosamente: A Magna Carta, primeiro documento escrito, 15/06/1215, limitou o poder absoluto do rei João. Foi uma luta entre opressores, o...

Bilhete com nomes de ministros foi gota d’água para ação contra Lava-Jato

Um bilhete apócrifo apreendido em julho de 2015 por policiais federais foi a gota d’água para o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ),...

A epidemia e a política (Por Fernando Henrique Cardoso)

Primeiro é bom ressaltar que a “crise” (usa-se tão amiúde o vocábulo que ele acaba por perder o significado) começou a se manifestar antes...

O ano dos balões de ensaio (por Alon Feuerwerker)

A situação do governo Jair Bolsonaro, especialmente dele próprio, é contraditória. De um lado, o governismo venceu as eleições para a presidência da Câmara...