Esqueceram de mim? Essa pode ser a pergunta de Filipe Martins

Filipe Martins, que na semana passada fez o que fez no Senado, um gesto ofensivo e inaceitável qualquer que seja a sua interpretação, não foi falado no agitado dia de ontem.

A manobra do deixa-como-está-para-ver-como-é-que-fica não vai dar certo por dois motivos. Primeiro: os senadores não aceitarão. Eles estavam com foco em Ernesto Araújo, mas, ao fazer o que fez no Senado, pelas costas do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), entrou na linha de tiro. Segundo, Martins sempre mandou em Ernesto Araújo. Não tem qualificação, mas é visto como o representante dos filhos do presidente.

Ao escolher o embaixador Carlos Alberto França para substituir Araújo, o presidente Jair Bolsonaro mostrou que quer alguém que vai obedecer, somente. Ele é elogiado por todos por ser educado, mas a avaliação mais comum é que ele não tem experiência na definição de política externa. Se for mesmo uma pessoa cordata, vai acabar na mão dos filhos do presidente e de seu representante em chefe, Filipe Martins.

Ultimas notícias

Flávio Bolsonaro representa contra Kajuru no Conselho de Ética do Senado

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) protocolou nesta segunda-feira, 12, uma representação contra o também senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) no Conselho de Ética da Casa....

Nunes Marques é sorteado relator de impeachment de Alexandre de Moraes

O ministro Nunes Marques, do STF (Supremo Tribunal Federal), foi sorteado nesta segunda-feira, 12, relator da ação protocolada pelo senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), que...

Atirador deixa ao menos um morto em escola nos EUA

Uma pessoa morreu e outra, um policial, ficou ferida após a ação de um atirador em uma escola em Knoxville, no estado americano do...

Bolsonarismo, conservadorismo e liberalismo (Por Denis Lerrer Rosenfield)

Jair Bolsonaro, em sua eleição, conseguiu encarnar a força do antilulopetismo, congregando em torno de si três correntes de ideias que, naquele então, apareceram...

Conversinha impublicável

A conversa telefônica entre o presidente Bolsonaro e o senador Jorge Kajuru é espantosa por muitos motivos. Primeiro, claro, pelo teor. O que se ouve...