Extremista preso confirma que pregava a intervenção – mas era “no voto”

O blogueiro Oswaldo Eustáquio, que está em prisão domiciliar em função de sua participação nos atos antidemocráticos, confirmou, em depoimento  à Polícia Federal,  que defendeu mesmo uma “intervenção popular” no Congresso Nacional durante manifestações consideradas antidemocráticas do ano passado. Mas teria havido um mal-entendido. Ele explicou que a intervenção popular a que ele se referia seria feita através do voto — democraticamente, portanto. É um ajuste de versão conveniente diante da atual conjuntura.

O blogueiro é um dos investigados no inquérito instaurado pelo Supremo Tribunal Federal para apurar os atos antidemocráticos.  Preso no fim do ano passado, Oswaldo está impedido de utilizar as redes sociais, de conceder entrevistas e sair de casa.  Na penitenciária da Papuda, em Brasília, onde ficou detido, ele levou um tombo quando tentava consertar um chuveiro, lesionando a coluna vertebral. Correu o risco de ficar paraplégico.

Militante nas redes sociais, Oswaldo nega que tenha defendido o fechamento do Congresso ou do Supremo. De acordo com as investigações, ele é suspeito de financiar manifestações que ocorreram em Brasília. Por conta disso,  teve a prisão preventiva decretada e, atualmente, cumpre a decisão judicial  em regime domiciliar, usando uma tornozeleira eletrônica.

Num tom bem abaixo do que custava usar em suas pregações radicais antes de ser detido, Oswaldo, agora, diz  que tem planos de seguir a carreira política, provavelmente disputando uma vaga no Congresso em 2022.  Ele comentou com a família que, quando for autorizado a voltar a utilizar suas redes sociais,  vai retomar as críticas que fazia ao Congresso e ao STF — sempre ressaltando, é claro,  que a  tal “intervenção” que defende  se dará “no voto”.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Com Covid-19 em alta, nenhum estado consegue a taxa mínima de isolamento

Em meio ao avanço da pandemia da Covid-19 pelo país, todos os estados brasileiros estão longe da taxa mínima de isolamento social de 70%...

A volta do nepotismo

Editorial de O Estado de S. Paulo (8/3/2021) Em mais uma mostra de que estão dispostos a privilegiar seus interesses pessoais e os de seus...

O efeito “Bolsocaro”

Pesquisa da agência mineira Quaest sobre popularidade nas redes sociais captou a ponta do que pode ser um iceberg na condução do governo Bolsonaro...

As palavras que Bolsonaro nunca pronunciará (por Juan Arias)

O vocabulário do presidente Jair Bolsonaro é muito restrito, talvez porque ele nunca tenha lido. Em seu dicionário pessoal só existem insultos, palavras obscenas, ameaças, zombarias....

Caso da máscara de Araújo em Israel: muito mais que um meme pronto 

As cenas que viralizaram do ministro Ernesto Araújo sendo repreendido pela falta de máscara em Israel – e também a diferença da foto, todos...