Falta esteio moral ao bolsonarismo para rechaçar Renan Calheiros

As hostes bolsonaristas – nas redes sociais – vêm reagindo com incontida virulência contra a presença de Renan Calheiros na relatoria da CPI da Covid.

Estão indignados com o discurso inicial do senador alagoano, que, a bem da verdade, não é exatamente uma das figuras mais impolutas da República.

Mas, como bem disse o jornalista William Waack, em texto publicado em 29 de abril no Estadão – o “bolsonarismo é um conjunto de propostas e ideias sem definição clara e sem rumo definido”, isto é, não é um projeto político, mas um mero “estado de espírito”.

E esses mesmos integrantes do bolsonarismo profundo e colérico das redes sociais não perceberam que no momento em que um colaborador idôneo como o ex-ministro Sergio Moro deixou a pasta Justiça, em abril de 2020, perdiam um arrimo instrumental, pois todo governo precisa de respaldos, de pessoas que representem a sua sustentação moral.

Mas o Planalto, que inicialmente parecia encampar uma agenda de mudanças e transformações, após o desembarque de Moro, sentiu-se à vontade para associar-se ao Centrão, assessorar-se fora de agenda com o advogado Frederico Wassef – ligado ao notório Queiroz das rachadinhas – e, enfim, a abraçar figuras como Roberto Jefferson, político condenado por corrupção no tenebroso esquema que ficou conhecido como Mensalão, e que hoje é um dos garotos-propagandas mais festejados do capitão e da turba bolsonarista.

Continua após a publicidade

Agora, movidos por esse “estado de espírito” de sempre, os bolsonaristas travestem-se de puristas e se escandalizam com alguns dos senadores que encabeçam a CPI da Covid.

Não percebem – ou fingem não perceber – que o momento de lutar contra isso já foi perdido, e eles não se deram conta, ou acharam que não deveriam se importar, pois, ao fim e ao cabo, são invariavelmente movidos por arroubos de intolerância e boçalidade.

O que percebemos é que, Bolsonaro, para seus seguidores fanáticos, é tão somente um fim em si mesmo.

E aí, quando aparece um Roberto Jefferson a favor, os bolsonaristas em peso aplaudem, contudo, se surge um Renan Calheiros contra, protestam e não aceitam.

Falta coerência e, sobretudo, esteio moral ao que se convencionou chamar de bolsonarismo.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Presidente da Anvisa depõe na CPI da Pandemia nesta terça-feira

A CPI da Pandemia retoma o trabalho nesta terça-feira, 11, com o depoimento do presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra...

Sobre o “tratoraço” regimental

A reforma do regimento interno da Câmara dos Deputados, que pode ser votada esta semana, vem sendo chamada por seus críticos de “tratoraço”, em...

Queiroz mostra, mais uma vez, fidelidade ao presidente Bolsonaro

Denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como operador do esquema da rachadinha no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) enquanto o filho...

“Acabou a mamata!”, proclamou Jair Bolsonaro

Resistente a compartilhar o poder, Lula aceitou um esquema em que empresas estatais, como a Petrobras, faziam compras desnecessárias e/ou superfaturadas e desviavam dinheiro...

Facebook envia à CPI vídeo apagado de reunião com gafes de Guedes e Ramos

O Facebook atendeu nesta segunda-feira a um requerimento do senador Randolfe Rodrigues e enviou à CPI da Pandemia no Senado um vídeo da reunião...