Governo negocia novo auxílio aos informais, afirma Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta segunda-feira, 8, que o governo negocia o pagamento de um novo auxílio aos trabalhadores informais, que sucederá o auxílio emergencial pago desde o ano passado e cujos últimos repasses foram feitos no fim de janeiro. Ainda não há detalhes sobre as regras do benefício nem o valor a ser pago.

No auxílio emergencial criado no ano passado, foram pagas três parcelas de R$ 600 até R$ 1.800 por família (os valores maiores eram destinados a famílias chefiadas por mulheres). O valor do benefício depois foi reduzido para parcelas de R$ 200 cada até o encerramento do programa.

“Estamos negociando com o Onyx Lorenzoni [ministro da Cidadania], Paulo Guedes [ministro da Economia, [Rogério ]Marinho [ministro do Desenvolvimento Regional], entre outros, a questão de um auxílio ao nosso povo, que está ainda numa situação bastante complicada”, afirmou o presidente durante cerimônia de lançamento da Plataforma Participa + Brasil, no Palácio do Planalto.

Sem dar mais informações sobre o auxílio, o presidente ainda ponderou as limitações fiscais do governo para expandir gastos, mesmo na pandemia. “Sabemos, Paulo Guedes, que estamos no limite do nosso endividamento e devemos nos preocupar com isso. Temos um cuidado muito grande com o mercado, com os investidores e com os contratos. Nós não podemos quebrar nada disso, caso contrário, não teremos como garantir realmente que o Brasil será diferente lá na frente”, acrescentou.

Em seu discurso, o presidente voltou a manifestar preocupação com um novo aumento no preço dos combustíveis, mas destacou que não pensa em interferir na Petrobras, que é quem define a política de preço com base na variação dos produtos no mercado internacional. “Jamais nós tabelaremos seja o que for, jamais praticaremos qualquer intervenção na estatal”.

Com Agência Brasil

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Sem acordo, Lira cria comissão especial para discutir PEC da imunidade

Sem acordo entre os partidos, o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL) decidiu enviar a PEC que trata da imunidade parlamentar para análise...

STF desacelera interrogatório de Witzel no impeachment

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou que o interrogatório de Wilson Witzel no tribunal misto do impeachment só poderá ocorrer...

‘Imunidade parlamentar não pode servir de blindagem’, diz Barroso

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou pedido para suspender o andamento da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que...

Áudio vaza e mostra irritação de Arthur Lira com o PT: ‘não negocio mais’

Logo que assumiu os trabalhos da sessão da tarde desta sexta-feira, para discutir e votar a PEC da Imunidade, o presidente da Câmara, Arthur...

Assembleia do Rio publica moção de repúdio à ‘PEC da Impunidade’

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) publicou no Diário Oficial desta sexta-feira uma moção de repúdio ao Congresso Nacional pela “PEC da Impunidade” —...