Mais um truque de Bolsonaro

Bolsonaro ameaçou baixar um decreto garantindo “o direito de ir e vir”.

Numa provocação ao Supremo Tribunal Federal, o presidente declarou que “não será contestado esse decreto; não ouse contestar, quem quer que seja”. Disse que o decreto repetiria o artigo 5º da Constituição Federal, que versa sobre os direitos fundamentais do cidadão.

É mais um truque.

Se simplesmente repetir o artigo 5º da Constituição, o decreto apenas repisará o que já está em vigor, e terá efeito jurídico nulo. E, claro, o Supremo nunca cometeria a insanidade de contestar o próprio texto constitucional.

Mas o decreto poderia ter várias consequências políticas.

Continua após a publicidade

A simples ameaça de um decreto maluco como esse já gera mídia.

Bolsonaro poderia fazer de conta que o Supremo teria se acovardado e se submetido diante de sua imperial vontade, e contar vantagem para a militância,

Prefeitos bolsonaristas poderiam se louvar no decreto para desrespeitar as medidas restritivas decretadas por governadores — os prefeitos acabariam recuando, mas antes haveria muita polêmica, confusão e bateção de bumbo, que são a matéria-prima da ação política de Bolsonaro.

Bolsonaristas donos de estabelecimentos comerciais poderiam se louvar no decreto para abrir seus estabelecimentos, gerando mais confusão.

Por fim, Bolsonaro, em delírio, acredita que um tal decreto, ou seu anúncio, pode servir como cortina de fumaça para desviar a atenção da CPI da Covid. Nisso, está redondamente enganado.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Bolsonaro volta a dizer que indicará evangélico ao STF em evento no Pará

O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que vai indicar um evangélico para a vaga de Marco Aurélio Mello no Supremo Tribunal Federal. O...

Em aceno ao PSB, Tabata faz live com França e critica governo Bolsonaro

De saída do PDT, a deputada Tabata Amaral (SP) participou nesta sexta de live com o ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB) sobre...

Barroso autoriza condução coercitiva de Wizard para falar à CPI

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta sexta-feira, 18, a condução coercitiva do empresário Carlos Wizard para depoimento à...

Plenário do STF vai decidir sobre sigilo do Exército no caso de Pazuello

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou nesta sexta-feira para análise do plenário da Corte a ação de partidos da oposição,...

CPI recebe avalanche de e-mails de bolsonaristas

Já atolados com os inúmeros documentos recebidos pela CPI da Pandemia, que já ultrapassaram 1.200 Gigabytes, os técnicos do Senado tiveram que enfrentar uma...