Morre aos 45 anos Alessandro Oliveira, chefe da Lava Jato em Curitiba

O procurador da República Alessandro José Fernandes de Oliveira, chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, morreu nesta quinta-feira, 20, aos 45 anos. A informação foi confirmada pelo Ministério Público Federal (MPF), que não divulgou a causa da morte.

Oliveira substituiu Deltan Dallagnol no comando da Lava Jato em setembro de 2020. Em fevereiro, a força-tarefa foi dissolvida e as investigações foram transferidas para o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O procurador migrou para o grupo e continuou atuando nos casos da operação.

Oliveira começou a carreira como procurador em 2004, em Marabá, no Pará. Passou pelas procuradorias de Foz do Iguaçu e Pananaguá, ambas no Paraná, antes de se estabelecer na capital Curitiba, em 2013. Atuou nas áreas eleitoral e penitenciária e no combate à corrupção. Trabalhava na força-tarefa da Lava Jato desde 2019.

Em nota, o MPF lamentou a morte de Oliveira, citando o comprometimento, a excelência e a cordialidade do procurador. “Alessandro deixa ao Ministério Público Federal um legado de coragem e honradez, que servirá de guia a iluminar os que, como ele, dedicam a vida à missão constitucional de ‘promover a realização da justiça, a bem da sociedade e em defesa do Estado Democrático de Direito’”, diz o texto. O órgão decretou luto oficial de três dias.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

O alto custo do “socialismo de direita” na Eletrobras

 No original de fevereiro existiam 3.977 palavras. No texto aprovado ontem estão 4.659 palavras.  Com 682 palavras a mais, a Câmara e o Senado conseguiram...

Frase do dia

“Quando você vê um prato da classe média europeia, que já enfrentou duas guerras mundiais, são pratos relativamente pequenos. E os nossos aqui nós...

Voto impresso é “jaguatirica com cobra d’água”

“A mistura, a compatibilização do sistema de urna eletrônica que temos com o sistema de impressão de voto, poderia ser uma cruza de jaguatirica...

Grupo de senadores planeja esvaziar depoimentos de médicos pró-cloroquina

Os senadores da CPI da Pandemia que se posicionam contra o presidente Jair Bolsonaro, integrantes do grupo conhecido como G7, se articulam há alguns...

O conselheiro: por que Bolsonaro dá trânsito livre a Malafaia no Planalto

Em meio a uma rodada de insultos durante a CPI da Covid-19 no Senado, veio à baila o nome do pastor carioca Silas Malafaia,...