Nunes Marques revela que Bolsonaro prefere enfrentar Moro a Lula

O ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu vista no caso da suspeição de Sérgio Moro, passou 15 dias com o processo nas mãos e acabou votando a favor do ex-juiz de Curitiba. Sem querer, Nunes Marques, o magistrado que tem dado votos alinhado com Jair Bolsonaro, revela que o presidente prefere enfrentar Moro ao ex-presidente Lula em 2022. Essa é a visão de um jurista com grande conhecimento do funcionamento da corte.

Juridicamente, Nunes Marques desconsiderou as mensagens apreendidas na Operação Spoofing, da Polícia Federal, neste que agora é um histórico julgamento sobre a parcialidade do juiz da Lava Jato. “Se o hackeamento fosse tolerado como meio para obtenção de provas, ainda que para defender-se, ninguém mais estaria seguro de sua intimidade, de seus bens, de sua liberdade”, disse. “São absolutamente inaceitáveis tais provas, pois são resultado de crimes”.

Politicamente, contudo, é preciso ler nas entrelinhas. Nunes Marques acabou vencido na Segunda Turma, com Moro sendo considerado suspeito em relação a Lula no caso do triplex do Guarujá. O caso ainda deve ser analisado pelo plenário da corte. Apesar de não haver a expectativa de alteração do resultado, o voto do mais novo colega de toga do STF deságua nos temores do governo em relação às próximas eleições presidenciais.

Houve um rápido reposicionamento do tabuleiro político causado pelo retorno de Lula ao cenário eleitoral, com reações na sociedade civil e até no mercado – tudo após o petista aparecer vestido com uma roupagem agregadora, versão 2.0 do Lulinha paz e amor. Rapidamente, Bolsonaro começou a mudar sua estratégia, meio sem chão diante da capacidade do ex-presidente de fazer política.

Nesse ínterim, o voto de Nunes Marques revelou o pensamento do Palácio do Planalto. Como Moro também é considerado inimigo político do presidente, qual dos dois ele prefere enfrentar numa eventual corrida eleitoral? Um jurista que já teve assento na corte acredita que o magistrado votou conforme o desejo de Bolsonaro. Se o presidente tivesse que escolher, não enfrentaria Lula na corrida de 2022 – e o ministro deu o tom do pensamento.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Bolsonaro questiona Queiroga: ‘Tem doenças que não matam mais ninguém’

O presidente Jair Bolsonaro disse, em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada nesta sexta-feira, 16, que pediu ao ministro da Saúde,...

Entre Lira e Guedes, Bolsonaro escolhe Lira, diz ministro

O prognóstico de um ministro próximo ao presidente Jair Bolsonaro dá a dimensão do potencial de estrago da crise da sanção do Orçamento de...

“Se eu entregar a cabeça do PG, a próxima que vão pedir vai ser a minha”

O presidente Jair Bolsonaro tem ouvido repetidas queixas dos líderes do Congresso sobre o comportamento do ministro da Economia, Paulo Guedes. Desde que, no...

Entidade de delegados ataca interferência política e pede PF ‘republicana’

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) divulgou nota nesta sexta-feira, 16, na qual critica a pressão política sobre a PF, defende...

O vírus da ingovernabilidade no Brasil (por Antônio Carlos de Medeiros)

Uma fonte que acompanha os bastidores do Senado Federal me disse que a situação em Brasília está de vaca não reconhecer bezerro. Um panorama...