Pacheco dá tempo ao governo para barrar a CPI da pandemia

Depois de protocolado há mais de 10 dias, o requerimento de criação da CPI da Pandemia continua com o mesmo número de assinaturas, cinco a mais do que o necessário para que fosse instalada. Mas Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado, que posa de independente do governo, só observa.

Por que será? Ora, porque ao governo tudo interessa, menos uma CPI que investigue a fundo sua responsabilidade na tragédia que já consumiu quase 250 mil vidas, deixando pouco mais de 10 milhões de brasileiros doentes. A situação tende a piorar porque falta vacina e sobre incompetência no Ministério da Saúde.

Pacheco está dando tempo ao governo para que consiga convencer pelo menos 6 senadores a retirarem suas assinaturas do requerimento. Não será impossível que isso aconteça dado o sortimento de cargos e outras sinecuras a serem oferecidas aos mais receptivos. Mas não será fácil.

Houve um senador que morreu contaminado pelo vírus. Senador que viu a mãe entubada. Além de senadores que perderam muitos amigos.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Fachin nega pedido de Edir Macedo para retomar ação contra Haddad

Não prosperou, ao menos por enquanto, a tentativa do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, de retomar um processo...

A imunidade, a impunidade e a bandidagem

Editorial de O Estado de S. Paulo (27/2/2021) Um Estado Democrático de Direito protege necessariamente os membros do Legislativo. Não há Congresso independente se os...

“Gato na Tuba” e Petrobras: CVM investiga (por Vitor Hugo Soares)

Eu me lembro da marchinha “Gato na Tuba” ao ler a notícia de que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu o segundo processo...

TCU faz ofensiva contra gastos de 32 procuradores na Lava-Jato

O Tribunal de Contas da União (TCU) prepara uma ofensiva contra 32 procuradores que atuaram nas investigações da Lava-Jato e planeja investigar os gastos...

Em casa ou na escola? (por José Sarney)

Ninguém sabe o mundo que nos espera depois desta pandemia. Teremos que nos adaptar à convivência com um vírus que fará parte das campanhas...