Pazuello não falha

Pazuello aceitou ser nomeado para o Ministério da Saúde apesar de não ter nenhuma qualificação para isso. Errou.

Aceitou ingerência de Bolsonaro e deixou de cumprir sua obrigação. Errou.

Foi pressionado a se transferir para a reserva, mas resistiu e se manteve na ativa. Errou.

Poderia ter ficado em silêncio na CPI, mas preferiu falar. Errou.

Em falando, deveria ter dito a verdade, mas mentiu. Errou.

Não deveria ter ido à manifestação política de Bolsonaro, mas foi. Errou.

Em tendo ido à manifestação, não deveria ter subido ao palaque, nem muito menos falado ao microfone, mas subiu e falou. Errou.

Pazuello será reconvocado à CPI. É provável que erre.

Afinal, como dizia Millôr Fernandes, “Errando é que se aprende. A errar.”.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Castro, Witzel e Martha Rocha trocam acusações por mortes e vacina no Rio

No dia em que o Brasil ultrapassou a marca de 500 mil mortos por Covid-19, três políticos do Rio de Janeiro bateram boca nas...

Clássicos serão excluídos da biblioteca da Fundação Palmares

Em 1933, os nazistas queimaram montanhas de livros em praças da Alemanha. Entre os desafetos do regime de Adolf Hitler estavam autores como Bertolt...

500 mil mortos e o silêncio do presidente

Quinhentos mil mortos por Covid-19. Silêncio. Comedimento. Reticência. Sigilo. Taciturnidade. Placitude. Indiferença. Boca-de-siri. Aglossia. Sopor. Mudez. Moderação. Moderação? Logo o presidente? Enquanto o país precisava...

Empresários “lançam” Sergio Moro como a candidato a presidente

Um grupo de empresários do Paraná prepara uma campanha em favor da candidatura do ex-ministro da Justiça Sergio Moro à Presidência da República. Segundo...