Pesquisa: a diferença entre homens e mulheres na hora de avaliar Bolsonaro

Há uma diferença numericamente bem perceptível entre homens e mulheres na hora de avaliar o governo Jair Bolsonaro e de manifestar a intenção de voto para a disputa presidencial de 2022 – eles estão mais ao lado do capitão, enquanto elas querem mais distância.

Segundo levantamento feito pelo instituto Paraná Pesquisas entre os dias 25 de fevereiro e 1º de março, 55,1% dos homens aprovam o governo Bolsonaro e 41% desaprovam. Já entre as mulheres, apenas 38,5% aprovam, enquanto 56,1% desaprovam.

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

Em relação à eleição presidencial de 2022, no principal cenário pesquisado, Bolsonaro tem 39,3% das intenções de voto entre os homens e apenas 25,2% entre as mulheres. No caso delas, os votos migram principalmente para Fernando Haddad (PT) – que tem 12,1% dos votos com elas e 8,8% com os homens – e para Luciano Huck, que tem 10,1% no eleitorado feminino e 5,7% no masculino.

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

 

Durante a campanha eleitoral de 2018, houve um movimento significativo, que nasceu nas redes sociais e chegou às ruas de todo o país em um grande protesto no dia 29 de setembro, sob o mote “Ele não”. Os atos, liderados principalmente por grupos feministas e de esquerda, além de partidos de oposição. acusavam o então presidenciável, entre outras coisas, de machismo e misoginia (característica de quem tem ódio ou aversão às mulheres).

Manifestação do movimento Ele Não, contra Jair Bolsonaro, no Largo da Batata, em São Paulo, em setembro de 2018, às vésperas da eleição presidencialJefferson Coppola/VEJA

A diferença de atitude em relação ao presidente de acordo com o gênero já se mostrara nos resultados finais daquela eleição: entre os homens, Bolsonaro venceu por 61% a 39% dos votos válidos a disputa contra Haddad, enquanto entre as mulheres esses percentuais foram de 52% e 48%.

O levantamento atual do Paraná Pesquisas tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi feita por telefone com 2.080 eleitores de 196 municípios nos 26 estados e no Distrito Federal.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Irã classifica apagão em usina nuclear de Natanz como “ato terrorista”

A usina atômica de Natanz, no Irã, sofreu um blecaute na manhã deste domingo. As autoridades iranianas classificaram o incidente como um ato de...

Grupos religiosos protestam contra decisão do STF sobre cultos e missas

Grupos religiosos fizeram neste domingo um protesto em frente ao Congresso Nacional contra a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de garantir a...

Igreja Católica da Austrália paga indenização milionária a vítima de abuso

Um homem de 58 anos cuja identidade não foi revelada vai receber uma indenização de 1,5 milhão de dólares australianos (cerca de 6,5 milhões...

O que Bolsonaro é, segundo Marta Suplicy

O que disse Marta Suplicy, ex-prefeita de São Paulo, sobre o presidente Jair Bolsonaro em entrevista ao programa  Manhattan Connection, na TV Cultura. https://youtube.com/watch?v=iq_HayFJl30&feature=oembed Mais lidasBrasilBrasilA...

Pandemia não anula a Constituição

Editorial de O Estado de S. Paulo (11/4/2021) Nenhuma circunstância excepcional, nem mesmo a maior crise de saúde em um século, justifica que se ignore...