Prevent Senior, que usou cloroquina contra a Covid, será chamada pela CPI

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou nesta terça-feira, 1º, que vai convocar representantes da rede de saúde privada Prevent Senior para depor na comissão que investiga as ações do governo no combate à Covid-19.

O anúncio foi feito durante audiência com a médica oncologista Nise Yamaguchi, que foi parceira da Prevent Senior na realização de estudos clínicos com pacientes sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da doença.

Embora o medicamento não tenha eficácia comprovada contra a Covid-19, ele tem sido bastante defendido por Yamaguchi – inclusive durante o seu depoimento à CPI. Ela atua como uma espécie de conselheira informal de Jair Bolsonaro para o combate à pandemia e é apontada como integrante de um gabinete paralelo que assessora o governo na elaboração das políticas contra o coronavírus.

A afirmação de Aziz foi feita quando o senador Otto Alencar (PSD-BA) realizava um duro questionamento à senadora sobre de onde ela tirava as conclusões de que a cloroquina pode ajudar na cura de pacientes com Covid-19 e citava estudos internacionais conceituados que apontavam exatamente o contrário. Alencar dizia que queria os nomes, endereços e CPFs das pessoas que passaram pelo tratamento.

“Senador, com a Prevent Senior foi feita essa pesquisa e nós vamos trazer a Prevent Senior para saber. É onde a doutora Yamaguchi trabalhou. Aí nós vamos pedir todo o trabalho que foi feito lá, que deve ser um trabalho muito aprofundado”, afirmou Aziz.

Unidade da Prevent Senior em São Paulo: rede de saúde que bancou tratamento da Covid-19 com cloroquina vai ser chamada pela CPI da PandemiaReprodução/VEJA

O estudo feito pela Prevent Senior com pacientes tratados com cloroquina e azitromicina ocorreu no início da pandemia, em abril de 2020, mas foi suspenso pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) por uma série de irregularidades éticas, que incluíam o início da pesquisa antes de autorização, a aplicação do coquetel em pacientes apenas com suspeitas de Covid-19 (quando a requisição de estudo citava apenas pessoas infectadas) e o aumento do número de participantes – no projeto constava 200, mas a terapia foi usada com quase 700 pessoas.

A Prevent Senior, que tem muitos clientes com idades mais avançadas e foi uma das instituições que mais registraram mortes no início da pandemia, se tornou uma das referências do uso da cloroquina contra a Covid-19 no país. Além de prescrever a droga para qualquer pessoa que relate sintomas de Covid-19 em uma das 5 000 teleconsultas feitas em média por mês, o grupo envia uma caixinha do remédio para a casa do paciente.

Ultimas notícias

Castro, Witzel e Martha Rocha trocam acusações por mortes e vacina no Rio

No dia em que o Brasil ultrapassou a marca de 500 mil mortos por Covid-19, três políticos do Rio de Janeiro bateram boca nas...

Clássicos serão excluídos da biblioteca da Fundação Palmares

Em 1933, os nazistas queimaram montanhas de livros em praças da Alemanha. Entre os desafetos do regime de Adolf Hitler estavam autores como Bertolt...

500 mil mortos e o silêncio do presidente

Quinhentos mil mortos por Covid-19. Silêncio. Comedimento. Reticência. Sigilo. Taciturnidade. Placitude. Indiferença. Boca-de-siri. Aglossia. Sopor. Mudez. Moderação. Moderação? Logo o presidente? Enquanto o país precisava...

Empresários “lançam” Sergio Moro como a candidato a presidente

Um grupo de empresários do Paraná prepara uma campanha em favor da candidatura do ex-ministro da Justiça Sergio Moro à Presidência da República. Segundo...