Queiroz mostra, mais uma vez, fidelidade ao presidente Bolsonaro

Denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como operador do esquema da rachadinha no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) enquanto o filho Zero Um de Jair Bolsonaro era deputado estadual, o policial militar reformado Fabrício Queiroz, em declaração a VEJA nesta segunda-feira, 10, ratificou a versão do presidente da República para os depósitos de 27 cheques feitos por ele na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que totalizaram cerca de 89.000 reais entre 2011 e 2016.

Queiroz foi procurado por VEJA para comentar o parecer do procurador-geral da República, Augusto Aras, que decidiu não abrir investigação contra Bolsonaro pelo caso dos cheques. O presidente é alvo de uma queixa-crime protocolada por um advogado, que o acusa do crime de peculato. Caberá ao ministro Marco Aurélio Mello, relator da ação no Supremo Tribunal Federal, decidir ou não pelo arquivamento. Queiroz, que não tem falado com jornalistas desde que deixou a prisão, em março deste ano, respondeu primeiramente que não comentaria, mas depois criticou a cobertura da imprensa ao episódio e deu aval à explicação de Bolsonaro para a origem dos depósitos.

“O presidente já falou o que era. Quando respondeu a primeira vez, ele falou o que foi. É que vocês estão de sacanagem e não falam. Ele falou ‘era isso e teve outras vezes’, acabou”, disse Queiroz a VEJA (ouça abaixo). A declaração mostra que Queiroz continua ao lado de Bolsonaro — logo após a sua prisão, em junho de 2020, chegou a se especular que ele poderia fechar uma delação premiada.

Ultimas notícias

Bolsonaro volta a dizer que indicará evangélico ao STF em evento no Pará

O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que vai indicar um evangélico para a vaga de Marco Aurélio Mello no Supremo Tribunal Federal. O...

Em aceno ao PSB, Tabata faz live com França e critica governo Bolsonaro

De saída do PDT, a deputada Tabata Amaral (SP) participou nesta sexta de live com o ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB) sobre...

Barroso autoriza condução coercitiva de Wizard para falar à CPI

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta sexta-feira, 18, a condução coercitiva do empresário Carlos Wizard para depoimento à...

Plenário do STF vai decidir sobre sigilo do Exército no caso de Pazuello

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou nesta sexta-feira para análise do plenário da Corte a ação de partidos da oposição,...

CPI recebe avalanche de e-mails de bolsonaristas

Já atolados com os inúmeros documentos recebidos pela CPI da Pandemia, que já ultrapassaram 1.200 Gigabytes, os técnicos do Senado tiveram que enfrentar uma...