Quem é o ‘médico coach’ que foi preso no Egito por assédio sexual

O médico gaúcho Victor Sorrentino fez sucesso no Brasil como autor de livros e cursos de coach para quem deseja ter uma vida mais saudável física e mentalmente, segundo a sua propaganda. Nos últimos meses, ganhou ainda mais protagonismo ao se juntar ao grupo de médicos que fazem a defesa enfática do uso do chamado “tratamento precoce” contra a Covid-19, bandeira que é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo bolsonarismo desde o início da pandemia — a terapia consiste no uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a doença, como hidroxicloroquina e ivermectina.

A fama de Sorrentino nas redes sociais, no entanto, lhe trouxe problemas neste último fim de semana. Em perfil no Instagram, que tem quase 1 milhão de seguidores, ele publicou um vídeo fazendo o que considerou uma “piada”, fazendo trocadilhos de cunho sexual com uma mulher muçulmana no Egito que tentava lhe vender um papiro — artigo de madeira utilizado para escritos na era antiga do país. O médico pergunta a ela em português: “Vocês gostam mesmo é do bem duro, né?”. E reafirma “e comprido também fica legal, né?”. A vendedora, que não entende a língua, acaba respondendo “sim” em meio a risadas dele e dos amigos.

O vídeo viralizou no Egito e acabou levando o médico a ser detido no país para prestar esclarecimentos. Neste domingo, dia 30, o Ministério do Interior egípcio informou que prendeu um estrangeiro (não divulgou o nome) após “assédio a uma mulher, depois que ele publicou um vídeo com imagens do incidente em uma rede social onde os serviços de segurança conseguiram identificar a vítima e o autor”.

Bolsonarista

No último mês, antes de viajar ao Egito, Sorrentino deu entrevistas a blogs bolsonaristas acusando a “indústria farmacêutica” e a “mídia” de fazer “jogo sujo” contra o uso de remédios como cloroquina, azitromicina, zinco e outros, que fazem parte do combo do “tratamento precoce”. No início do ano passado, esses remédios chegaram a ser apontados como promissores no tratamento da Covid-19, mas depois passaram a ser descartados pela comunidade científica e agências de vigilância de saúde no mundo afora.

“A pessoa que não usa a medicação por viés ideológico ou mesmo o médico que não prescreve, essa pessoa vai agravar, vai ocupar o leito do CTI, é por causa desta atitude que nós temos que ficar parados e fechados em casa, trazendo o vírus para dentro de casa e facilitando a transmissibilidade”, disse ele em entrevista ao blog bolsonarista Terça Livre.

As declarações dele e de outros médicos defensores da cloroquina encontram eco nas teses conspiracionistas defendidas por Bolsonaro e seus seguidores de que a indústria farmacêutica é contra o “tratamento precoce’ porque os remédios não têm patente — e, por isso, são de baixo custo.

Pós-graduado em nutrologia e credenciado pelo Instituto Brasileiro de Coach, o médico se divulga como “palestrante internacional”. Em seu site, ele oferece um curso por assinatura para ensinar de “maneira 100% eficaz” como prevenir depressão, calvície, impotência, insônia, além de melhorar a memória e fortalecer a imunidade, entre outras propostas.

Ultimas notícias

Criador do antívirus McAffe é encontrado morto em prisão de Barcelona

John McAfee, criador do programa de antivírus para computadores que leva seu sobrenome, foi encontrado morto nesta quarta-feira, 23, em uma cela em Barcelona,...

‘Governo vai desmoronar’, diz Aziz às vésperas de depoimento sobre Covaxin

Presidente da CPI da Pandemia, o senador Omar Aziz (PSD-AM) disse a interlocutores estar convicto de que a comissão de inquérito chegou enfim a...

Mudanças climáticas farão milhões de vítimas, diz relatório da ONU

Um esboço de um relatório do Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC), um órgão de caráter consultivo da Organização das Nações Unidas para...

Um tiro no Planalto

De duas, uma: ou o Palácio do Planalto tem uma história muito bem contada e comprovada para desmontar a denúncia do deputado Luís Miranda...

Deputado que alertou Bolsonaro sobre Covaxin terá proteção da CPI

Após as entrevistas do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) sobre o alerta que ele e seu irmão fizeram ao presidente Jair Bolsonaro sobre suspeitas...