Spray nasal contra a Covid-19 virou assunto diário para Bolsonaro

Ele só fez uma pausa durante o final de semana: desde a quinta-feira passada, dia 11,  o presidente Jair Bolsonaro falou todos os dias sobre o spray nasal contra a Covid-19 desenvolvido em Israel, que está ainda em sua primeira fase de testes.  Nesta terça-feira, 16, na praia em Santa Catarina, onde passa o Carnaval, ele voltou a falar sobre o EXO-CD24 junto com o seu filho, o deputado-federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). A novidade anunciada por ele agora é que será enviada uma comitiva brasileira ao país do Oriente Médio para tratar do assunto.

Bolsonaro voltou a dizer que o spray será submetido à análise da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e que o medicamento poderá ser testado no Brasil. Ele afirmou ainda que não vê motivos, após a chegada dos documentos, para a Anvisa não dar “sinal verde” ao remédio. O presidente completou dizendo que a cura de muitas doenças no mundo foi encontrada por meio de medicamentos “fora da bula”, em referência ao fato de o spray ter sido desenvolvido originalmente para tratar câncer no ovário.

Eduardo disse que o medicamento “tem tudo para dar certo” e que, apesar de ser “uma novidade em Israel”, é muito promissor. O deputado destacou ainda que a Grécia também entrou em contato com os israelenses para comprar o remédio e que o estudo será estendido para mais de cem pessoas — leia mais abaixo sobre os testes envolvendo o medicamento.

Bolsonaro falou pela primeira vez, de forma mais detalhada, sobre o spray, na última quinta-feira, durante uma live nas redes sociais e, desde então, esse assunto tem estado em todos os seus pronunciamentos. Na transmissão ao vivo, ele disse que conversaria com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu para negociar a compra do medicamento. Também comparou o remédio com as vacinas, que já têm a sua eficácia comprovada com estudos de fase três. “Lá (em Israel) está sendo desenvolvido, em fase final, um remédio para curar a Covid-19. Quando falei do remédio lá atrás, levei pancada, entraram na pilha da vacina. O cara que entra na pilha só da vacina é um idiota útil, porque devemos ter várias opções. Para quem está contaminado, não adianta vacina”.

Em seu Twitter, na sexta-feira, o presidente escreveu sobre a desejada participação no Brasil nas próximas fases de teste do spray. Depois de uma pausa no fim de semana, na segunda-feira, 15, Bolsonaro tuitou sobre os primeiros resultados do estudo do medicamento. Também foi destacado pelo presidente a intenção dos chefes de governo de Brasil e Israel em cooperar no desenvolvimento de medicamentos contra a Covid-19.

O que é o spray?

O EXO-CD24 é uma proteína desenvolvida originalmente para tratar câncer no ovário. Mas, recentemente, pesquisadores do  hospital Tel-Aviv Sourasky Medical Center decidiram testá-la no combate à Covid-19. Um estudo preliminar realizado com 30 pacientes, em estado moderado a grave, mostrou que 29 se recuperaram de três a cinco dois dias após o uso inalável do fármaco. O 30º paciente também se recuperou, mas de forma mais lenta. A posologia descrita é a seguinte: uma aplicação a cada 24 horas ao longo de cinco dias.

Os resultados foram recebidos com entusiasmo. Nadir Arber, pesquisador à frente do estudo, disse que é uma “grande descoberta”. O primeiro ministro israelense, Benjamin Netanyahu falou sobre “droga milagrosa”, mas admitiu que ainda são necessárias mais evidências. Segundo informações do jornal local The Times of Israel, Netanyahu disse à Arber: “Se der certo, será enorme, simplesmente enorme. Isso é de importância global”.

Embora promissores, esses resultados ainda são extremamente iniciais. Para comprovar a eficácia do tratamento, é necessário incluir um grupo maior de pacientes e, em metade deles, administrar um placebo para comparar como o doença se desenvolve nos dois grupos. Vale lembrar que diversos medicamentos que pareciam promissores contra a doença na fase inicial de testes não tiveram sucesso quando chegou à derradeira fase 3, que compara sua eficácia com o placebo. Portanto, até que testes mais robustos tenham sido realizados, é preciso cautela. O Centro Médico Ichilov, em Tel-Aviv,  já solicitou ao Ministério da Saúde local permissão para a realização de um ensaio de fase 2, que inclui um número maior de pacientes e permite avaliar melhor a segurança e o potencial de eficácia do fármaco.

No tratamento da Covid-19, o EXO-CD24 atua no combate à tempestade de citocinas, uma reação exagerada do sistema imune que se acredita ser responsável por muitas das mortes associadas à doença. O composto usa exossomos — pequenos sacos transportadores de materiais — que levam a proteína CD24 aos pulmões. Esta proteína ajuda a acalmar o sistema imunológico e conter a tempestade. Como é inalado, ele vai diretamente aos pulmões, sem causar efeitos colaterais.

 

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Senado aprova texto-base da PEC Emergencial em primeiro turno

O Senado aprovou na noite desta quarta-feira, 3, em primeiro turno, o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/2019, a chamada PEC...

Três perguntas sobre a choupana de Zero Um

Flávio Bolsonaro adquiriu uma modesta choupana em Brasília.  Tem 2.400 metros quadrados de terreno, 1.100 metros quadrados de área construída e saiu pela bagatela...

Bolsonaro reforça papel de inimigo número 1 da Lava Jato

Hoje em dia deve estar muito difícil para os apoiadores – pensantes – do presidente Bolsonaro ainda acreditarem na sua agenda anticorrupção. Transcorrido quase um...

Maioria dos baianos apoia Rui Costa e defende toque de recolher e lockdown

A maioria dos cidadãos baianos aprovam a forma como o governador do estado, Rui Costa (PT), está enfrentando a pandemia de Covid-19. Medidas mais...

ONGs processam grupo francês Casino por desmatamento no Brasil e Colômbia

Uma coalização de ONGs moveu uma ação criminal na França nesta quarta-feira, 3, contra o grupo francês Casino, que acusam de vender carnes ligadas...