RJ suspende aulas presenciais em 36 municípios

O avanço da variante delta do novo coronavírus fez a Secretaria de Educação do Rio de Janeiro suspender as aulas presenciais na capital e em mais 36 municípios do estado até pelo menos a próxima sexta-feira, 13. Localizados nas regiões Metropolitana I e Noroeste do estado, essas cidades estão na bandeira vermelha no Mapa de Risco da Covid-19, divulgado na sexta-feira, 6 pela secretaria estadual, ou seja, estão sob alto risco de contágio da doença.

De acordo com a portaria publicada em 23 de abril, “em caso de bandeiras vermelha e roxa, as unidades escolares da rede pública estadual funcionarão apenas para atividades administrativas, como a retirada de material pedagógico e do kit alimentação, além de entrega de documentos e matrícula de alunos. As aulas, nesses casos, acontecerão somente de forma remota”

LEIA TAMBÉM: O comportamento da criança mudou? Pode ser culpa da pandemia. O que fazer

Além da capital, as aulas presenciais estão suspensas em Aperibé, Belford Roxo, Bom Jesus de Itabapoana, Cambuci, Carapebus, Cardoso Moreira, Cordeiro, Duas Barras, Duque de Caxias, Iguaba Grande, Italva, Itaocara,

Itaperuna, Japeri, Laje do Muriaé, Mesquita, Miracema, Natividade, Nilópolis, Nova Iguaçu, Porciúncula, Queimados, Rio das Flores, Santo Antônio de Pádua, São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, São João de Meriti, São José de Ubá, São Pedro da Aldeia, São Sebastião do Alto, Seropédica, Silva Jardim, Teresópolis, Trajano Moraes e Varre-Sai.

No caso da cidade do Rio de Janeiro, porém, apesar de estar localizada na região Metropolitana I, o ensino presencial continuará na rede municipal. “As aulas presenciais estão mantidas nas escolas municipais da capital. A rede municipal de educação do Rio possui um rigoroso protocolo sanitário, validade pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19, que é aplicado em todas as unidades escolares”, comunicou a Secretaria Municipal de Educação, por meio de uma nota.

Os outros 56 municípios estão autorizados a funcionar em modelo híbrido, com aulas presenciais e online, mas caberá aos pais e responsáveis, ou alunos maiores de idade, escolher entre as aulas presenciais ou o ensino remoto. No primeiro caso, as escolas devem seguir todos os protocolos e orientações complementares estabelecidas pelo sistema estadual de ensino.

Já as escolas particulares vinculadas ao sistema estadual de Educação, que devem funcionar seguindo as regras dos municípios onde estão situadas, serão fiscalizadas pelas Vigilâncias Sanitárias municipais para saber se o funcionamento está de acordo com os protocolos. realizar a fiscalização do cumprimento dos protocolos.

 

spot_img

Ultimas notícias

Renan da Mata comenta sobre sua vida política no Podcast com Jair

Renan da Mata iniciou sua carreira como assessor do ex-deputado federal paranaense Hidekazu Takayama do PSC e, atualmente, tem como foco sua pré-candidatura para...

Brasil chega a 47 casos suspeitos de ‘hepatite misteriosa’ entre crianças

Os órgãos de saúde do Brasil investigam 47 casos suspeitos da chamada hepatite misteriosa. O cenário ainda é de incerteza e a comunidade científica...

Equívoco de Lula

No afã de defender seu candidato a vice, Lula cometeu um grave equívoco. O ex-presidente afirmou em alto e bom som que o ex-tucano...

Escola na Flórida sorteia fuzis, munições e pistolas entre alunos e professores

Uma semana após o tiroteio em uma escola primária no Texas, que causou a morte de 20 crianças e professores, um colégio da Flórida,...

Brasil perde 7,8 mil piscinas olímpicas de água por dia nos sistemas de distribuição

A quantidade da água tratada perdida nos sistemas de distribuição no Brasil representa um volume equivalente a 7,8 mil piscinas olímpicas desperdiçadas diariamente. O...