Azul prepara seu próprio carro voador em guerra com Embraer

O futuro parece já marcar um engarrafamento no espaço aéreo. Duas gigantes do setor aéreo brasileiro prometem investir pesado nos chamados veículos elétricos de pouso, também conhecidos como carros voadores. Após a Embraer anunciar a negociação de fusão da Eve com o SPAC Zenite e o Radar Econômico apurar que os testes com tripulantes serão iniciados ainda em 2021, a Azul revelou nesta segunda feira, 2, que também vai apostar no novo mercado. Em parceria com a startup alemã Lilium — que já arrecadou mais de 300 milhões de dólares por meio de um SPAC presidido por Thomas Enders, ex-CEO da Airbus –, a aérea brasileira vai construir uma rede de carros voadores no Brasil até 2025.

Nossa presença de marca, nossa malha com exclusiva conectividade e nosso programa de fidelidade nos permitem criar demanda para introduzirmos essa nova operação com os jatos eVTOL da Lilium no Brasil”, diz John Rodgerson, CEO da Azul. Os modelos serão de sete lugares e cada jato custará 4,5 milhões de dólares para a Azul. As ações chegaram a subir quase 3% no início do pregão, reduzindo os ganhos para cerca de 0,9% às 16h15. Nem se compara ao efeito do carro voador da Embraer que fez as ações da empresa subirem 14% em um único dia.

+ Embraer fará teste com carro voador em tamanho real ainda neste ano

Ultimas notícias

Senador Romário é submetido a cirurgia em hospital do Rio

O ex-jogador de futebol senador Romário (PL-RJ) foi submetido, nesta quinta-feira, 9, a uma cirurgia, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada em...

STF suspende novamente julgamento sobre terras indígenas

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu novamente o julgamento que analisa a validade da tese sobre o marco temporal para demarcações de terras indígenas....

Câmara aprova novo Código Eleitoral, mas exclui quarentena a juízes

O texto-base do novo código eleitoral em tramitação na Câmara dos Deputados foi aprovado nesta quinta-feira, 9, pelo plenário da Casa por ampla maioria,...

Restos mortais de vítimas do 11 de setembro são identificados após 20 anos

Por 20 anos, o consultório médico legista da cidade de Nova York conduziu discretamente a maior investigação de pessoas desaparecidas já realizada no país —...

Ter mais tempo livre não aumenta necessariamente o bem-estar

Ter muito tempo livre não é sinônimo de bem-estar. É o que dizem pesquisadores da Universidade da Pensilvânia em estudo publicado no Journal of...