O custo bilionário do lobby do centrão para dividir a pasta de Guedes

Cientes do lobby do centrão para convencer Jair Bolsonaro a dividir o Ministério da Economia, recriando a pasta do Desenvolvimento, aliados de Paulo Guedes no governo fizeram as contas. A união de pastas que formou o superministério de Guedes reduziu os gastos administrativos do governo em 5 bilhões de reais.

Da forma como funcionavam antes, a mastodôntica rede de repartições das pastas da Fazenda, Planejamento, Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Trabalho e Previdência custavam aos brasileiros 15 bilhões de reais por ano.

Reunidas na atual organização da pasta de Guedes, elas passaram a custar 10 bilhões de reais, com a simplificação de procedimentos, eliminação de órgãos administrativos replicados e a digitalização de serviços.

Para vencer o debate sobre a recriação do ministério do Desenvolvimento, que daria ao mundo político um ponto de apoio para lobbys em torno de medidas de incentivo fiscal – caminho para furar o teto de gastos, na avaliação da Economia –, o centrão terá de convencer Bolsonaro a jogar fora a economia de 20 bilhões de reais por mandato.

Continua após a publicidade

Ultimas notícias

Senador Romário é submetido a cirurgia em hospital do Rio

O ex-jogador de futebol senador Romário (PL-RJ) foi submetido, nesta quinta-feira, 9, a uma cirurgia, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada em...

STF suspende novamente julgamento sobre terras indígenas

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu novamente o julgamento que analisa a validade da tese sobre o marco temporal para demarcações de terras indígenas....

Câmara aprova novo Código Eleitoral, mas exclui quarentena a juízes

O texto-base do novo código eleitoral em tramitação na Câmara dos Deputados foi aprovado nesta quinta-feira, 9, pelo plenário da Casa por ampla maioria,...

Restos mortais de vítimas do 11 de setembro são identificados após 20 anos

Por 20 anos, o consultório médico legista da cidade de Nova York conduziu discretamente a maior investigação de pessoas desaparecidas já realizada no país —...

Ter mais tempo livre não aumenta necessariamente o bem-estar

Ter muito tempo livre não é sinônimo de bem-estar. É o que dizem pesquisadores da Universidade da Pensilvânia em estudo publicado no Journal of...