Onda de calor histórica cozinha peixes em rio dos EUA

A onda de calor que vem castigando os Estados Unidos neste verão tem provocado consequências trágicas para o meio ambiente. Biólogos que atuam na proteção do rio Columbia, que atravessa os estados de Washington e Oregon, no noroeste do país, constataram que as temperaturas recordes estão cozinhando salmões que vivem na região. 

Num vídeo divulgado na última quarta-feira 28, um cardume aparece com graves ferimentos nas escamas. Vindos do Oceano Pacífico, os peixes normalmente sobem o rio Columbia durante esta época do ano para a desova. O problema é que em julho, a região do noroeste, onde o clima é ameno, viu os termômetros marcarem 49ºC.

As lesões, afirmam os cientistas, acontecem porque a temperatura das águas subiu a níveis jamais registrados. Os biólogos afirmam que os machucados são profundos demais e os peixes não devem sobreviver por muito tempo. 

A onda de calor matou ao menos 500 pessoas na Costa Oeste dos Estados Unidos e do Canadá neste verão. Também vem provocando incêndios recordes em ao menos doze estados, onde 22.000 bombeiros estão concentrados em tentar conter as chamas. Os cientistas afirmam ainda que 1 bilhão de animais marinhos podem ter sucumbido às temperaturas anormais.

Ultimas notícias

Senador Romário é submetido a cirurgia em hospital do Rio

O ex-jogador de futebol senador Romário (PL-RJ) foi submetido, nesta quinta-feira, 9, a uma cirurgia, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada em...

STF suspende novamente julgamento sobre terras indígenas

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu novamente o julgamento que analisa a validade da tese sobre o marco temporal para demarcações de terras indígenas....

Câmara aprova novo Código Eleitoral, mas exclui quarentena a juízes

O texto-base do novo código eleitoral em tramitação na Câmara dos Deputados foi aprovado nesta quinta-feira, 9, pelo plenário da Casa por ampla maioria,...

Restos mortais de vítimas do 11 de setembro são identificados após 20 anos

Por 20 anos, o consultório médico legista da cidade de Nova York conduziu discretamente a maior investigação de pessoas desaparecidas já realizada no país —...

Ter mais tempo livre não aumenta necessariamente o bem-estar

Ter muito tempo livre não é sinônimo de bem-estar. É o que dizem pesquisadores da Universidade da Pensilvânia em estudo publicado no Journal of...