Decisão contra perfis de direita gera novos ataques bolsonaristas ao TSE

No momento em que articuladores políticos do governo e líderes do Congresso tentam colocar panos quentes nos ataques de Jair Bolsonaro aos ministros do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral, os bolsonaristas — incluindo o presidente — encontraram mais um motivo para engrossar a ofensiva contra as Cortes superiores.

A decisão monocrática do corregedor do TSE, ministro Luís Felipe Salomão, de desmonetizar, ou seja, bloquear o repasse de dinheiro de publicidade das redes sociais para canais e blogs suspeitos de divulgarem fake news sobre eleições e urnas eletrônicas gerou uma nova onda de ataques bolsonaristas ao Judiciário.

Logo no início da manhã desta terça-feira, 17, o filho Zero Três do presidente, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), chamou a decisão do TSE de “mais um passo da ditadura”. “Em decisão monocrática, corregedor do TSE determina a desmonetização dos canais e que eles sumam das ferramentas de buscas. Receberam a sanção sem o devido processo legal, sem contraditório e ampla defesa”, escreveu no Twitter.

Pouco depois, o próprio presidente, em entrevista à rádio Capital Notícia, de Cuiabá, engrossou o ataque. “O corregedor do TSE, o senhor Salomão, está mandando desmonetizar a página de quem diz que as urnas não são confiáveis ou precisam de uma maneira de serem auditadas. É isso que acontece no Brasil: a hipocrisia. Pouca gente tem coragem de falar a verdade. Nós temos que resistir”, disse.

A deputada Bia Kicis (PSL-DF), uma das mais ativas bolsonaristas nas redes sociais, afirmou que a decisão é uma “censura proibida pela Constituição Federal” e que há uma ofensiva contra representantes do seu espectro político. “A cada dia uma nova medida. Todas contra conservadores. É o vale-tudo contra qualquer um que apoie as pautas da direita”.

O deputado Filipe Barros (PSL-PR), que foi o relator da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) do voto impresso rejeitada pela Câmara, também criticou a decisão e disse ser a favor do fim da Justiça eleitoral.

A decisão de Salomão atinge alguns dos principais perfis bolsonaristas nas redes sociais, como o Jornal da Cidade Online, o Terça Livre, o Vlog do Lisboa, o Folha Política e o Taoquei, todos listados por Eduardo Bolsonaro como atingidos pelo bloqueio.

Ultimas notícias

Senador Romário é submetido a cirurgia em hospital do Rio

O ex-jogador de futebol senador Romário (PL-RJ) foi submetido, nesta quinta-feira, 9, a uma cirurgia, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada em...

STF suspende novamente julgamento sobre terras indígenas

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu novamente o julgamento que analisa a validade da tese sobre o marco temporal para demarcações de terras indígenas....

Câmara aprova novo Código Eleitoral, mas exclui quarentena a juízes

O texto-base do novo código eleitoral em tramitação na Câmara dos Deputados foi aprovado nesta quinta-feira, 9, pelo plenário da Casa por ampla maioria,...

Restos mortais de vítimas do 11 de setembro são identificados após 20 anos

Por 20 anos, o consultório médico legista da cidade de Nova York conduziu discretamente a maior investigação de pessoas desaparecidas já realizada no país —...

Ter mais tempo livre não aumenta necessariamente o bem-estar

Ter muito tempo livre não é sinônimo de bem-estar. É o que dizem pesquisadores da Universidade da Pensilvânia em estudo publicado no Journal of...