Você já ouviu falar sobre o DKW-Vemag Candango?

Fernando Siqueira Carvalho é um empresário no ramo de carros antigos, apaixonado por este mundo, sua paixão pelo mundo automobilístico o move e teve início logo na sua infância, através de seu pai e seu avô. Hoje, com sua garagem repleta de modelos antigos, tornou-se também um colecionador. Dessa forma, repleto de conhecimento e amor sobre o assunto, fala à nossa redação sobre o icônico DKW-Vemag Candango.

Produzido pela importante e histórica empresa Vemag, o veículo foi produzido entre os anos de 1958 e 1963. A fábrica possuía a licença da empresa alemã DKW. Dessa forma, a DKW Vemag foi uma intersecção de muito sucesso. O carro foi amplamente utilizado no exercício das Forças Armadas, contudo, não foi tão citado pelos militares brasileiros, dessa forma, o veículo não teve a ascensão esperada no país.

Estima-se que a produção foi de aproximadamente 5.600 unidades, porém há fontes e indícios que deslocam esse número para mais e para menos. O empresário Fernando Siqueira Carvalho disse que o veículo exibia grande potencial e detinha em suas versões características de um ótimo carro, apresentando um bom sistema de tração e resistência.

Foi apelidado de Candango, pois tratava-se de uma homenagem aos trabalhadores que construíram a cidade de Brasília. Vindos de todos os cantos do país, os operários ajudaram a construir o que é hoje a sede do Governo Federal do país, inaugurada em 1960.

Além disso, era derivado do Munga alemão produzido em 1956, esse veículo foi destinado à polícia e exército de países que pertencentes à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), com enorme potencial para percorrer estradas sinuosas e apresentando potência e resistência, foi um carro muito difundido entre esses países, fala Fernando Siqueira Carvalho.

O Munga consistia em um veículo off-road, ou seja, fora-da-estrada, dessa forma, havia a possibilidade de percorrer tanto asfalto plano, como estradas sinuosas, de terra, repleta de obstáculos e adversidades. Por esse motivo, a produção de seu sucessor no Brasil foi superestimada, pois apresentava grandes vantagens.

Contudo, fala Fernando Siqueira Carvalho, no Brasil, o carro Candango não teve tanta ascensão, apesar de bastante utilizado, sua produção foi baixa comparada a outros veículos. No país, teve basicamente duas versões, os Candangos 2 e 4. A diferença dos dois era basicamente a tração, o primeiro oferecia apenas nas duas rodas dianteiras e o segundo nas quatro rodas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Ultimas notícias

Renan da Mata comenta sobre sua vida política no Podcast com Jair

Renan da Mata iniciou sua carreira como assessor do ex-deputado federal paranaense Hidekazu Takayama do PSC e, atualmente, tem como foco sua pré-candidatura para...

Brasil chega a 47 casos suspeitos de ‘hepatite misteriosa’ entre crianças

Os órgãos de saúde do Brasil investigam 47 casos suspeitos da chamada hepatite misteriosa. O cenário ainda é de incerteza e a comunidade científica...

Equívoco de Lula

No afã de defender seu candidato a vice, Lula cometeu um grave equívoco. O ex-presidente afirmou em alto e bom som que o ex-tucano...

Escola na Flórida sorteia fuzis, munições e pistolas entre alunos e professores

Uma semana após o tiroteio em uma escola primária no Texas, que causou a morte de 20 crianças e professores, um colégio da Flórida,...

Brasil perde 7,8 mil piscinas olímpicas de água por dia nos sistemas de distribuição

A quantidade da água tratada perdida nos sistemas de distribuição no Brasil representa um volume equivalente a 7,8 mil piscinas olímpicas desperdiçadas diariamente. O...